Visitantes da página

domingo

Mamonas "Selvagens".





Cor de melancolia no crepúsculo de um céu, rosa de ironia que não deixava dúvidas sobre a sexualidade daquele ícone das telas...do qual se dispunha a difamar;
Voz que ainda se recorda de tuas letras, distância imposta pelo tempo que não impeça de lembrar;
Avião que levanta vôo e não avisa previamente, que no céu eternamente...coisas que a ele pertençam, para sempre, por lá iriam deixar;
Um acorde diferente, som de sarcasmo no ar...seriedade que fazia troça da gente, serenidade jocosa e sincera que nos fazia sorrir e somente por um dia, nos fez chorar;
Mamonas "Selvagens"...por aqui, tudo permanece quase igual, sem desistir de piorar...
Assassinaram até mesmo o "jumento Celestino", pobre jumento modificado que  trouxe de longe, alguém arrependido de migrar;
Na quinta série onde quase "repetiram"...hoje não importa educação, se são as letras de classificação, depreciação que sentíamos juntos na pele com um "D", "E"..."vez em quando um C", para nos salvar;
Hoje, não somos mais "treta", mas penta campeões em fazer piadas sem graça com nossa gente, nosso futuro de "pouco conhecimento", num presságio de coisa malfadada a naufragar...
Sequer se sabe, sobre aquela matéria fundamental...sobre dilemas de ser "paradoxo do pretérito imperfeito, complexo com a Teoria da Relatividade", pois matéria fecal, é o que nos resta do espólio das escolhas que não nos deixaram para optar;
Vocês "passaram" somente por uma vez, mas o riso é inevitável e sempre se renova ao ouvir...
Vocês passaram, com pouco tempo para ficar...contudo, para jamais partir;
O "alemão" ainda  nos deixa na saudade, sobe a serra com facilidade...nós, ficamos com a brasília amarela, com motor fundido..."fodidos", cheirinho de estrume que não nos deixa esquecer, deste lugar que conosco nunca perdeu um segundo para se importar!
Mamonas, "assassinaram" de vez nossa vontade de sorrir...sorrisos são de distração para coisas que refutamos acreditar...
Gratidão, por jamais serem ausência completa, que nos impeçam de lembrar que um dia fomos crianças juntos para sorrir, sonhar, acreditar fazíamos alguma diferença nisso tudo...
Que o rumo das coisas, ainda que soasse como brincadeira, poderíamos mudar...apesar, da suposta seriedade dos insanos deste mundo.


Um comentário:

  1. Por que, "selvagens"? Dinho...num dia desses do passado explicou.
    De Utopia para mamonas...o primeiro show.
    Para sempre, obrigado.


    Por: eu, um entusiasta daquilo que anda se perdendo por aí...SENSO DE HUMOR.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.