Visitantes da página

domingo

Faz diferença?



Com coisa, que faça alguma diferença...com coisas que indiferentes não se lembram de perceber...
Com coisas desinteressantes,  alguém mais fazendo sua mágica de encantar, se calar, aparecer ou desaparecer;
Com coisa, que alguém há de notar, coisa que seja fato irrelevante que em nenhuma nota que se note, com algo desimportante para relatar;
Provas a dar...a quem perdeu a capacidade de se encantar, provas que sejam pessoas a superar, em lugares inusitados...todo espetáculo, pode se encerrar;
Com coisa, que alguém seja para a felicidade de um outro alguém o motivo...se esta, não encontra felicidade alguma, satisfação na solidão de estar consigo;
Com coisa, que consigo dizer...supostamente algo que alguém há de compreender, quando nem mesmo um minuto de atenção que se prenda à coisas fúteis e inúteis, dispensam para reflexão acerca disso;
Não culpe o palhaço...pela falta de graça, quando em tua cara cansada, não há mais capacidade para sinceridade em um sorriso;
Não culpe a casa, por não ser capaz de construir um lar...
Não peça aos céus os passos, quando em terra firme, teu orgulho há tempos lhe fez parar;
Com coisa, que faz alguma diferença se eu disser...talvez não saibam sequer sobre meu nome, a mensagem de um mero ser humano, todavia jamais, uma pessoa qualquer;
Não impeça alguém de ser feliz de seu jeito...do contrário, mostre teu mapa de passos perfeitos que puderam impedir, teu presente repleto de lástima e erros;
Com coisa, que já fez diferente algum dia...que já fora capaz de impedir aquilo que mais detesta em alguém, que outrora parecia enxergar, mas não via;
Para uma parcela de culpa...há uma saída, se pesa por demais um pedido carregado em franqueza nas palavras, se o orgulho diz que é tua fraqueza que fala...
Mais uma vez, saída é pela tangente, diante dos olhos do imaterial onipresente...distante dos demais, oculta tuas falhas...
Mas, com coisa...que alguém se importa com a fala que nada diz de um pretenso poeta, suposto escritor com passado de livro aberto, eterno canalha!
Minha vida pode ser livro aberto desinteressante para que alguém quisesse ler...minha vida poderia ser livre, de fato, se de todos meus pecados eu fizesse virtude...
Esperando dos céus o salvo conduto, a anistia, para persistir no erro e jamais me expor, com medo de aparecer...
Com coisa que isso muda algo...amanhã, espero nada além de repetição, pois até a esperança se cansa de esperar por aquilo que parece ilusão para machucar e jamais, verdadeiramente, acontecer...
Enquanto isso...sigo solitário em minha luta que seja ignóbil papel de palhaço esquecido em minha labuta, ou em minha suposta arte que fosse com palavras capazes de a alguém, um dia surpreender.

3 comentários:

  1. Sou um idiota? Ah...isso eu já sei. Ou melhor, não sei, pois ninguém me disse...pelos outros, vim a saber.


    Por: Fernando Ordani...

    ResponderExcluir
  2. Um simples gesto para fazer a diferença, talvez não faça tanta diferença para um ou outro mas se para seu interior faz, vale a pena, um  mundo pode ser criado para agregar uma paz, pode fazer grande diferença na vida daquele de um ou de nós mesmo quando vale a pena a diferença fazer.... perfeito Fer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É por estes motivos, especialmente, que persisto em minha missão de escrever.
      Escrevo para quem tenha um minuto de atenção para ceder... não uma eternidade inteira de lições para ensinar, sem nada jamais aprender.

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.