Visitantes da página

sábado

Eles, pensam.




Eles podem...pensar, mais do que você pensa!
Podem presumir tuas verdades, desvendar tuas vaidades, colocar em xeque toda sua crença;
Eles podem, pensar mais do que você pensa, contudo não conseguem enxergar além de superfícies, deixar de viver uma vida que seja em tua ausência;
Eles podem...eles, pensam...
Propagam a peste, pensam e não se contentam em pular muros invisíveis, coisas que deveriam ser barreiras salutares, intransponíveis, de leste a oeste;
Eles podem pensar, podem falar e até praticar aquilo que repreendem de tua fala...
Eles pensam por demais, porém só pensam quando conveniência pede, quando há oportunidade de sucesso à espera na antessala;
Ontem um desconhecido que pensa que pensava...hoje, um ilustre, monstro de renome reconhecido, uma "mala";
Donos da razão, juízes com martelo nas mãos esperando daqueles que saíram do mesmo chão...a primeira oportunidade para usar um instrumento que a um sonho, esmaga;
Eles podem, eles pensam...eles eram os rebeldes de ontem, os rapazes que viam as coisas além do horizonte...eram quem "acontecia";
Hoje, se parecem com homens vendidos em vitrines de vidros invisíveis, vestindo aquilo que outrora não servia;
A fala modificada, a letra do passado ousada...eles pensam que podem pensar além de você, especialmente em um país de memória curta, onde ninguém se lembra de nada;
Eles pensavam...eles escondiam por entre palavras aquilo que sem dizer, falavam;
Eles pensam, mas preferem se omitir...preferem a primeira  aparição de alguém que remeta ao passado do qual não têm recordação...
Para pensar mais adiante, provar que não passa de uma infeliz sem boa perspectiva de futuro...agora, com alguma grana e ausentes de coração;
Ainda há o astro-rei lá fora, ainda há a multidão...ainda há gente interessante esperando por algo, não obstante o que pensam à respeito do pensamento, ou não;
Teu crime não compensa, não faz sentido nada daquilo que você faz...não faz sentido prosseguir, abaixe tuas armas, diz o antigo entusiasta das guerras contra o sistema...
Cuidado, devo mensurar o estrago ou o nada que sejam minhas palavras...sempre sabendo, que eles pensam, muito mais do que vocês pensam.




5 comentários:

  1. Cuidado com esta fumaça, este escarro de desrespeito na minha cara, meu caro...
    Lembra de teu passado pedindo carona por aí, lembra-se de quando queria ser um "engenheiro", pois ainda não lhe pertenciam os arquipélagos por aí...lembra-te que és humano, desprezível agora em teu conforto fumando, me pedindo para desistir.
    P.S: Eu costumava comprar teus discos, fazer propaganda de teus livros, para que você pudesse conseguir...


    Por: Fernando Ordani.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. P.S: Vocês, podem pensar...eu, posso ao menos, cagar?

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.