Visitantes da página

sábado

Rebeldes, sem causa.

Hoje, acordei ao som de samba na minha cabeça...
Coisas pedindo para ser lembradas, somente para que eu não me esqueça;
Gente pisoteando, multidão que se entretinha e se divertia...enquanto alguém mais tentava se distrair descansando deste descaso, sonhando;
Som de perturbação...gente que se vendia por alguns trocados, gente que repetia o discurso que condenava do boca dos engravatados...
Amor e atitude, mortos...samba em minha cabeça, dor da agonia era o que se ouvia das garagens dos "moleques" de outrora despenteados;
Marcha devagar e compassada, pisoteia algum ébrio infeliz com uma lata de cerveja, pisoteia a linda mulata...para que eu me distraia com algo sob sua saia e nada veja;
Se algo morreu, se um por um vale que separou a admiração dos admirados, se alguém se vendeu, olhos se vendaram...esse alguém, não fui eu;
Hoje acordei...do passado, taciturno, semblante sombrio e soturno...gosto amargo no paladar, fala que titubeando em concordar que admirava aquilo que sempre detestei;
Caras e bocas por aí, barulho de guitarra...brados que diziam haver algum propósito, agressividade contra um sistema de complexidades...armados, pela causa!
Samba, sobre minha cabeça...escárnio!
Tudo o que queriam de fato, eram algumas mulheres de vida fácil e algo além de alguns trocados;
Queria "ser sedado", mas samba sobre minha cabeça me impede de dormir...descansar, sem deixar de pensar que de fato, os americanos eram os caras certos a ser idolatrados;
Tudo, nesta terra...o sangue, a suposta liberdade, a guerra...é caso para ser contado...
Conto para crianças que permanecem acordadas além do horário;
Caras pintadas, de fato eram nada além de palhaços iludidos, acreditando em algo...
Algo, contido nas letras de algumas perturbadoras melodias, diziam ser necessário!
Na hora da verdade, ninguém saiu, todos se esconderam...em cima do muro ficaram, aqueles que incendeiam...
Em casa, com medo daquilo que condenavam, incertos sobre as verdades que diziam, atrás de cadeados!
Samba sobre minha cabeça, já é alta madrugada...por favor, permita que eu adormeça, antes que enlouqueça...
Permita que disso tudo eu me esqueça, pois amanhã, é somente mais um dia de trabalho.



2 comentários:

  1. Meninos que falavam muito, meninos que falavam por demais...
    Meninos que muito disseram para que fossem lembrados pelos senhores do dinheiro, homens de agora do "tanto faz".


    Por: FERNANDO ORDANI.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. P.S: De fato, dinheiro compra praticamente tudo...enquanto não vi um centavo de nada por não ser nada, antes que seja "algo", ME RETIRO DESTE SUBMUNDO IMUNDO.


      Por: eu.

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.