Visitantes da página

sábado

Não siga o seguidor.














Amigos virtuais, os inimigos mais mortais que desconheço...
Feras atrozes, ávidas, sedentas por sangue, ferozes...livres, para que estejam soltas em um plano perfeito;
De um espelho qualquer, de um olhar que se possa confrontar, fitar...ainda, dúvidas irão restar...
Sobre ser, sobre estar...sobretudo, acerca de quem se oculta por detrás de máscaras e maquiagens, Maquiavel a lhe observar;
Eu, traiçoeiro de mim...pessoas soltas na rua, pintadas para a posteridade na tela...
Pessoas aparentemente comuns, que passam sem se importar, tomam de assalto sem permissão para se apossar, lindas...encarceradas numa cela!
Covil de víboras, antro de perfídia...tudo o que é voz escrita, o silêncio pede para silenciar...
Tudo aquilo que ainda seja sobrevida em perigo...serve de bom entretenimento, para toda falsidade que jura, com algo além do ego se importar;
Vidas, para cuidar, porém vidas serão somente um número a mais ou a menos...brincadeiras de gente crescida, seres rasteiros...pequenos!
Destilam seu veneno, presumem do primeiro parágrafo, da primeira palavra...toda a verdade;
Acendem fogueiras para ferir, tribos para segregar com a suposta premissa de "juntos" evoluir...toda falácia que disfarça os verdadeiros intentos da vaidade;
Um dia desses, pode ser mentira...contudo, neste plano perfeito de seres extraordinários, nada soa verossímil, ou verdadeiro o bastante para ser aceito por mãos acolhedoras de piedade;
Mãos que escolhem, mãos que separam, terceira pessoa do plural...faces desconhecidas ditando as regras, estabelecendo as metas por detrás de uma tela, ao subserviente boçal;
Uma voz distante, em desespero gritou...o humano e seus sentidos apurados que nem sempre lhe enganam, acordou...
Uma vida, naquela noite traiçoeira de perigos, um amigo verdadeiro somente para salvar, bastou;
Pobre do eremita, pobre do recluso rejeitado por uma sociedade sólida, sórdida, edificada sobre bases firmes de mentiras;
Espero que um dia não precise, espero que um dia...as "tribos" não lhe encontre, para que jamais destas necessite...
Afirmo com veemência, que somente servem para testar algo além de paciência e instintos primitivos...logo, evite;
Tenha um número em sua agenda, cultive uma vida que da tua, por vezes com algum carinho desinteressado se lembra...pois, do contrário, está fadado a morrer, acredite!





Um comentário:

  1. Um peso sobre os ombros? Jamais...quando amizade é real, ensurdecedor é seu suspiro que resiste, IRRELEVANTE É O PESO DAQUILO QUE LHE ROUBA VIDA E SEJAM ESCOMBROS.
    Valorize vida enquanto é vida...melhor será ser um suposto idiota anônimo, a ser um imbecil além das fronteiras, por tuas vergonhas reconhecido.
    Sem mais.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.