Visitantes da página

terça-feira

Filho do mundo.

Sou de lugar algum, pois em meu plano ideal de mundo, para viver sonhando acordado não há barreiras...
Por aqui, tudo passa e nada fica, terra de ninguém onde se encontram muitas vias, muitas vidas...terra tão retrato de realidade de lástima brasileira;
Não sou árvore, rompi contrato prejudicial com minha raiz...
Posso ser chamado por desvairado, iludido, frustrado, por este povo tão lembrado por representar um imenso nada, neste lugar esquecido, mas afirmo que sou feliz;
Valores invertidos, gente divertida que facilmente se entretém com piada sem graça, da vida alheia se ocupa...contigo, finge que de verdade se preocupa, mas se alegra em tua desgraça;
Grandeza é ótica distorcida de tua perspectiva...lágrimas tão falsas quanto tua personalidade, que do chão refletem aflição da pequenez de tua alma...
Calor que remete ao humano é o que por aqui se espera, com um balde de gelo para retribuir...derramado sobre tuas costas, enquanto uma fala fácil e dissimulada qualquer, te acalma;
Lugar...onde não se respeita um nome, um homem, mas tão somente sobrenomes que lhe atribuam suposta relevância;
Lugar, a ser levado a sério, com a seriedade que há de se lidar com ocorrências de um jardim de infância!
Lugar...onde tudo aquilo que se move, padece...
De memória fraca, que somente lembra quando acontece, do conveniente não se esquece, da educação que não tenha a oferecer, mas pede;
Onde pessoas não se reconhecem, nada é reconhecido...triste fato que faz deste lugar um eterno cartão de visita de lugares onde o tempo não passa;
Lugar sem graça de gente retrógrada, ignorantes o bastante sequer para se encantar com demagogia ou falácia...
Gente sem propósito que sequer saiba porque esteja, dúvidas sobre se algo seja, gente que passa e nada ouve...olhares atentos para tudo o que seja falho, fechados para as virtudes, abertos aquilo que pouco edifica, fala afiada para críticas;
Primeira impressão que deixa e permanece por não ser capaz de mudar, tudo aqui é sólido como rocha...
Pedras ocupam lugar de coração no peito, de um povo deste lugar onde o tempo passa e nada se modifica;
Logo, por além destes limites territoriais tão pequenos, há de me interessar olhares e ouvidos interessados de gente que ainda não conheço, contudo reconhece esta voz advinda de um lugar, que sequer saibam no mapa, onde fica!



6 comentários:

  1. OBRIGADO BAURU!!!!!!
    GRATIDÃO, A ESTA TERRA INGRATA QUE REJEITA SEUS PRÓPRIOS FILHOS BASTARDOS...A CARA, DO BRASIL!

    ResponderExcluir
  2. Como aplaudir em pé? Cidade sem fronteiras, sim claro, somente para os musquistos, os parasitas sabe esses tem a oportunidade de sempre deixar alguém doente a grande oportunidade de encher hospitais sem médicos be?
    #BauruObrigadaCidadeLinda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom...mosquitos e parasitas, cidade "hospitaleira". Com certeza, venha para Bauru, leve dengue, leve a péssima educação desta gente de uma cidade sem limites para tudo o que seja absurdo.

      Excluir
    2. P.S: Nasceu à margem da ferrovia...pegou "carona" no progresso do país. Parou, quando tudo por aí também pára.
      Enfim, cidade que permanece "à margem" daquilo que come a ferrugem e não merece ser lembrada.

      Excluir
  3. As vezes me pego a pensar em tudo isso, aqui não precisa ser competente, tem q ter amizades influentes e se por um asno não importa tem q ser puxa saco. Aqui as coisas só flui se tiver sobremenome. Mas se for competente pessoas te quebra por medo do seu talento vergonha, aqui não se olha perfil, e sabedoria. Quer conseguir algum reconhecimento ? Só se for longe daqui. Desilusão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, meu caro(a)...por este motivo, decidi parar.
      Aqui, nunca foi meu lugar.
      Sinto que algo me espera além deste covil de víboras, frio do ardil.
      O que resta? Foco em outras atividades, outros horizontes...contudo, confesso que sinto um imenso vazio.
      Tristeza, nada mais...fica aquela sensação que, para tudo o que tenha sido um sonho para ser sonhado no coletivo, com pessoas que perderam a capacidade de sonhar, foi em vão.
      Obrigado, abraços.

      Por: Fernando Ordani...

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.