Visitantes da página

segunda-feira

F...e seu Júnior.

Chame de Paulo, Roger, seu amigo...aquilo que mais detesta amar, pois um pedaço de teu maior prazer carrego comigo;
Coisas imensuráveis, amor por além de uma noite, coisa que não tem medida...
Quinze, vinte, vinte e cinco...tudo sem preço, medidas e profundidades precisas para satisfação de teu teus anseios, um mastro de salvação, meu orgulho, seu porto seguro...
Seu tudo, com muito carinho e apreço, sem necessidade de um endereço, pois apareço para tua grata surpresa, menina!
Sou bombeiro que apaga tua chama com miragem de minha "Magirus", minha mangueira que encanta...
Sou policial que te prende, traficante que te vicia e não se arrepende, sou violinista ao tocar neste suave deslize, enquanto você desliza e canta;
Sou lobo da noite, faminto que uiva...meu canto, de tua morada reconhece e já me aguarda como quem agradece por ser carne tenra, vítima resignada e agradecida, nua...
Seja loira, morena, seja mestiça...mulata minha querida, seja ruiva;
Sou teu garçom, vestido à rigor com aquela gravata borboleta...trazendo teu trago de torpor em uma bandeja, vindo do longínquo para comer tua...sobremesa;
Suspensório, nesta atmosfera onde toda lascívia se liberta, tudo se eleva, tudo suspende...
Em meu colo, me chama por Zeus, cachorro, Ares, maldito, Apolo...no chão, és minha mesa, quatro pernas, uma beleza...
Traga aquela tua amiga, pois ela é quem realmente me interessa mais nesta insana brincadeira;
Olhe de perto este chão, sinta esta loucura, explosão neste vai e vem de quadril, estocadas de emoção...cara no chão, algo se empina, Paulo novamente atrás, surpresa!
Onde estão minhas mãos agora, guria?
Não sou perfeito, mas sou feito, constituído dos pedaços do pior pecado que em teus sonhos te molha...te perturba, alguém que detesta admitir que desejava, então me olha...
Sou personificação do imperfeito, dos teus segredos mais proibidos, aquele queria!
Me chame por Fernando, me mande pro inferno...me chame por Fábio, me convida para ser fogo que não te queima, mas te consome no teu inverno;
Sou Jorge com sua espada, Tadeu quando come do fruto daquela árvore profana e sagrada...Tadeu, delírio onde se perde, este algo que lhe consome, lhe come e tão logo, some antes do raiar do dia... 
Posso não ser tudo, não lhe trago a jóia, o cartão, o carro que sonhava, perdão por não ser o príncipe que teu pai lhe prometia...
Me chame por Fernando, pobre...me chame por Fábio, um ilustre desconhecido que nada lhe cobre, quando somente o "Junior" de mim, era o que queria! 
Rosto pra quê, quando ao sair não mais me reconhece...espera teu marido com um sorriso no rosto agora, afinal após um longo dia de trabalho, ele merece!



3 comentários:

  1. Perdão mocinha...se perdeu comigo. Não sou nada seu, mas adora me chamar quando está "à perigo".
    Consigo coisas sobre as quais papai não teu contou, faço cumprir além das juras que lhe prometeu este frouxo, do teu marido.

    Por: F....(ou, Ricardão)

    ResponderExcluir
  2. Kkkkkkkkkkkkkkkkk excelente, nada melhor que começa o dia com uma boa graça de ideia real, Ricardão kkkkkkkk as melhores lembranças terão ao seu lado huaraaa \o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Das melhores lembranças, restarão lágrimas...ou nada, além de um sorriso indecente e discreto, no teu rosto.

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.