Visitantes da página

quarta-feira

Um cara no escuro.

Era talvez, para ocultar visão, para atenuar diante das vistas a feiúra de tua feição;
Era quiçá mera opção, dia se fazendo noite para quem é de noite...na medida do possível, em possível proporção;
Era para ser estrela, não se ferir e ofuscar o Sol...era pra ser rei por um dia na terra, era pra ser boa surpresa oculta a se revear, explodir, fragmentos espalhar...
Mais forte brilhar, pujança advinda de esperança de vir à tonar e deixar para trás o velho paiol;
Na escuridão, obscuridade longe dos olhos me protegia...meus olhos e minh'alma escondia do abraço do vampiro, do afago da perfídia;
Um cara, no escuro...sem lados pra escolher, sem opção, eleva seu mastro e hasteia tua bandeira com trêmulas mãos...bandeira singular agora a tremular sobre um muro;
Bandeira que pouca gente pára e repara, pois se oculta ainda por detrás de coisas que façam anoitecer...esperando chance para sonhar e coisas por acontecer, este cara;
Vista tuas vestes, virgens vestais não lhe aguardam, céu algum lhe espera onde nada acontece...onde amanhã é "deja vú", onde faces conhecidas não lhe reconhecem...
Futuro, o passado lhe promete...coisas sobre novidades desinteressantes, conluio das víboras ávidas, boçais de notoriedade em busca de metais brilhantes...
Coisas que ninguém lhe conta, coisas que para ti jamais acontece...coisas que tua essência renega, coisas assim que sem oração, eleva teu olhar aos céus e agradece!
Por trás de um muro imaginário, há de se esperar por muitas coisas...contudo, jamais coisas que se pareçam com repetição de antes...
Novidade, por trás de coisas que escurecem e nada mais transparecem, talvez seja o motivo de persistência tola, obstinada, sôfrega...ansiosa e ofegante;
Se nada ocorrer ele apenas segue, ninguém percebe quando se recolhe mais uma bandeira de cima do muro, de algo que somente queria ser alguém a ser notado no futuro.


3 comentários:

  1. "Eu vejo o futuro repetir o passado, eu vejo um museu de grandes novidades..." - Cazuza.

    O tempo não pára, no escuro ninguém percebe quem se move com o tempo, faça acontecer e parado também não permaneça...
    Um cara no escuro, à margem de tudo...em cima do muro, eternizando visão distinta de coisas com pretensão de mudar o futuro.
    Um cara, que talvez ninguém se lembra, ninguém se esqueça...uma boa promessa de nada que parece ser nosso promissor futuro.


    Por: Fernando Ordani.

    ResponderExcluir
  2. Um cara que faz a diferença, pode ser que muitos não admitam mas sabemos admirar o verdadeiro valor que você tem, excelente texto meu rapaz ;)

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.