Visitantes da página

quinta-feira

Sonhos e silêncio.




Salvação adiante, não obstante fosse estranho o iluminar daquela luz...
Não se parecia com certeza...que não fosse ainda de mais pesar sobre meus ombros, de alheia cruz, coisas que se aprecia por superficial beleza...coisa profana que seduz;
Era quiçá Jesus, mas um Jesus diferente, punhos cerrados, pedra sabão...Jesus que jamais fora gente;
Brilho de cristal, luz dourada de ouro de tolo...na escuridão a refletir;
Mente de um sonhador, tão incauta...quase que inocente, entregando um pouco mais que seus pertences, entregando alma ao vil ceifeiro que saiba sorrir!
De costas para mim, uma vez mais naquela noite nefasta, era selado meu destino...
De frente para o espelho...esquálida figura, olhos marejados, pela personificação de perfídia enganados, suplicando aos pés do gesso tão divino;
Homem sou, ao menos, penso ser...maldito menino que em mim resiste, no submundo das fábulas ou contos, em contraste, contragosto com realidade subsiste...
Aprenda a enxergar perigo, onde aparentemente não existe...algumas pessoas simplesmente não se importam com pessoas...
Algumas coisas são como elas são, desde antes de tua concepção...desde que o mundo existe;
Noites e suas nuances...embriaguez que deturpa sentidos, perspectiva de bom futuro que não passa de prejuízo da visão, sombrio véu que encobre verdades sobre romances;
Porém, presente é sempre assim...segurança que me concede todo princípio, que horas mais tarde se parece com meu fim...
Perdão, não era para ser assim...sonhava com um mundo de pessoas e oportunidades, tolo iludido que se recusa a crer em um mundo doente e tão ruim...mundo de insanidades;
Ontem, segurança que me concedia a estupidez do concreto nos sonhos, segurança que caminhava despretensiosa ostentando nada além de marcas e músculos...
Hoje, a face sem alma de um ser andante, novamente errante que perdeu razão que jamais fora sua...entretanto, conformado já não perde mais sua calma;
Cavando com a mesma calma sua cova, desejando sem palavras a proximidade da vida incerta além túmulo...
Ultraje, de toda forma de traição de si mesmo, o cúmulo...
Resignado ser sonhador, sonhava com oportunidades, sonhava em ser poeta , notório escritor...
Perdão, mas sonhar com coisas por demais para que sejam realidade, simplesmente lhe trarão a certeza de sempre quase...lhe fará cair de joelhos, sobre o mesmo chão;
Implorando por misericórdia por ousar ter nascido, por não saber sobre limites para sonhar antes de ter adormecido...misericórdia, por caminhar neste frio e miserável chão, pelo qual já desejava ter sido engolido!









Um comentário:

  1. Sombrio e soturno, assim de repente...quando exultava em felicidade.

    Parte ruim do existir, mas nem todo dia está para flores...bom também é saber que nem todos os dias serão de dores.

    Parte ruim, mas faz parte...simples assim.



    Por: Fernando Ordani.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.