Visitantes da página

segunda-feira

Rosas verdadeiras, lágrimas de mentira.

Duas lágrimas solitárias, derramadas ao pé de uma roseira...
Desmancham maquiagem, secam sem regar, sem carregar vida...presença de ignóbil metade, personificação de felicidade sonhando ser plenitude, subsistir sonhando em ser vida por inteira;
Duas lágrimas solitárias, logo secam...ébrio arlequim, ferido com espinho sangra, sem levar o sonhado botão de rosa...
Céu lhe oferece lua e estrelas como alento, seus olhos alheios a tudo isso divagam em lamúrias rabiscadas num papel manchado qualquer, em verso ou prosa;
Sonha palhaço, sonha em um dia deveras, alguém para ti de forma distinta sorrir...contudo, agora se contenta em fazer teus gracejos para que outros, possam de tua figura rir;
Sonha entre feras, assombrosa é a magnitude do esquecimento que ao nascer de um novo sol, com o dissabor de um novo dia lhe espera;
Tua voz não será ouvida, tuas súplicas serão eco...aos teus ouvidos, tuas preces serão devolvidas;
Lágrimas solitárias a rolar, pratas em pontos brilhantes no céu...suave que seja seu teto, negro véu e uma lua a lhe observar...
A noite é tua, tu és a roseira...a oferecer flores falsas como tua alegria, a ceder um pouco mais daquilo que não tenha, porém o destino que desdenha de ti, queira;
Sonha acordado, ser ídolo saltimbanco em uma sociedade sádica que se sacia com a desgraça dos palhaços...
Impressionar seus ídolos por um dia, ser esquecido em segundos subsequentes desta previsível vida vadia...perde tua graça, tens nada além agora de boa serventia, como há de ter o capacho!
Sonha, pois a ti nada resta além de sonhar...a roseira que rega com tuas lágrimas, rosa verdadeira a outras mãos, sem ferir há de presentear;
Devia saber que vida de arlequim é assim, espetáculos se dividem entre ti...sucesso por mérito, ao protagonista que se espera porquanto riam de mim...
Fecham-se as cortinas, massas se movem para suas casas...faz abrigo agora na embriaguez, tens somente o céu como teto mais uma vez....
Tens chão de concreto para sonhar, tua lágrima para secar...tens a latrina!
Cortejando por toda a vida a rosa mais bela expressão de amor...para consternado ter de contemplar, ocultando sua dor...
Alguém mais, sempre com um algo a mais...levar embora e beijar diante de teus olhos conformados, levemente marejados, a tua menina.




5 comentários:

  1. Vida há de ser coisa boa, coisa à toa...somente sei, que vida é algo mais que sangrar, somente para saber que aquilo que flui de ti, tem cor de carmim...
    Vida é coisa boa, coisa à toa é perder...mas, perder deveria ser algo ciclo de repetição insano, somente para me enlouquecer e me deixar de joelhos, lembrando que a piada sempre soa mais engraçada quando venha de mim?
    Céu e estrelas, apaguem suas luzes, me deixem em paz se vosso brilho não seja sequer por um dia, destinado a este humilhado arlequim!
    Vida há de ser coisa boa, coisa à toa...mas, por hoje, não digam isso a mim!


    Por: Fernando Ordani.

    ResponderExcluir
  2. Lindo !!! Mas muito triste faz-me a garganta fechar e nos olhos o pranto rolar. Faz-me refletir a minha vida e o coração sangra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O autor, consente...muito agradecido pela leitura, estimado(a) leitor(a).
      Abraço fraternal.

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.