Visitantes da página

segunda-feira

Querer e poder.



Queria que tempo deveras passasse, que tempo fosse remédio eficaz que feridas cicatrizasse...
Queria, por vezes, que o tempo sobre minhas mãos estivesse...controle, queria que o tempo voltasse!
Remédio para curar algum tédio, fazer esquecer aquilo que não deveria ser lembrado...
Desrespeito a tempos verbais, fazer no presente, prevalente sentimento que deveria ter agonizado no passado;
Queria por um minuto, ao menos, estar certo...queria, que não fosse por uma eternidade o preço a pagar por um segundo ter escolhido errado;
Queria que fosse amor aquilo que me desse as mãos e caminhasse, que sob a mesma chuva se molhasse...
Jamais, entretanto, como linha paralela a percorrer a mesma direção, em falsa afeição...a me observar com olhares de curiosidade;
Olhares de piedade, despidos de emoção...olhares de vampiro que roubam tua essência, levam saúde e paciência e lhe deixam ébrio, caminhando na contramão;
Queria que o arco do céu, por um dia refletisse a cor da minha íris...
Queria que este céu fosse meu, queria tormentas e tempo bom, algo que não fosse inércia e arrependimento somente a motivar minhas crises;
Queria, mas querer...definitivamente não é poder, quando tão relativo é teu desejo em confusão de verbos que se faça sobre estar e sobre ser;
Queria viver, assim como o suicida quiçá jamais vira como saída que não fosse pelo desespero escolhida, morrer!
Queria por um dia brilhar mais intenso que a luz que encanta por um dia, perfume barato que por breve instante inebria...
Alguém mais que algo no limbo de todo ostracismo, logo regressando à realidade cinza que lhe rouba o sonho, somente para ver de perto tudo perecer...não merecer!
Coisas que não se resolvem com o tempo, uma vez mais roubando uma chance de ser...
Fazendo ao chão retornar...de si mesmo não se lembrar, uma multidão cheia de amor pra dar, te esquecer!





3 comentários:

  1. "Eu quis querer o que o vento não leva, pra que o vento só levasse o que eu não quero...eu quis amar o que o tempo não muda, pra que quem eu amo não mudasse nunca, eu quis rever o futuro, consertar o passado..." (Herbert Vianna/Thedy Corrêa)

    Que leve, seja leveza e sonhos, que seja mais coração tudo o que venha a nortear nossas escolhas neste ano. E que o imutável, assim permaneça. Aceitar fatos e pessoas, também é sabedoria.

    Por: Fernando Ordani.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.