Visitantes da página

sexta-feira

Amores cítricos.



Quis da donzela de figura divina, conduta profana...olhar misterioso de cigana, o amor mais lindo;
Quis, sublimar às nuvens deitado em teu leito, quis resplandecente na lua nossa paixão...encontrar aconchego em teu seio;
De donzela, no entanto, nada tinhas senão dócil figura que dissimulava, perfume que não era tua essência...ao meu olfato, enganava;
Não me importa, embora disso tudo soubesse...lugar melhor do mundo para estar, era junto a ti contando histórias e estrelas...
Ou, sob céu escuro, deitado na relva ou na rede...onde somente lua era aquilo que iluminava;
Minha dama tão doce, tão minha eram suas carícias...para que me importasse com teu passado, com outras viagens, outros amores...
Minha dama, tão minha...donzela e profana, medidas certas que ao apaixonado enlouquece;
Poeta de pobre vocabulário e muita inspiração, das palavras certas em seus versos esquece!
Cigana, então sobre tua condição me esquecia, cigana sem morada, sem parada...paredeiro provisório era em meu coração...
Pobre coração que quase parou, naquela manhã quando partiu sem avisar...Sol se levantava somente para iluminar lágrimas que destes olhos caíam;
Quis a história perfeita, coisas oníricas, de meus delírios...quis encontrar em ti realidade, para minha dor, quis encontrar em tua loucura...um pouco de sanidade;
Quis de ti, sem sequer lhe ver partindo...quis uma última palavra talvez, após anoitecer e alvorecer de dias ao teu lado, sem motivo aparente aos olhos de invejosos, caminhar por aí sorrindo...
Quis, de ti....minha profana dama donzela, quis desejar de tua pessoa aquilo que em mim não encontrava...quis, sonhar e acordar para sempre sorrindo...
Para sempre, porém...será sempre pretensão de um apaixonado, tão inocente e tão falho, que espera sempre dos demais, que se escreva em sua própria vida o capítulo mais lindo...
Coisas que não terminam, sem ponto final...reticências que evitassem epílogo, desfecho, fechar de cortinas para que jamais te visse partindo;
Outro amor, outros mares...outro lugar, outros lares...
Hora de partir, pois teu amor fora ledo engano, suave brisa a me inebriar, contudo jamais deixara de ser memória de romance tórrido e tão bonito;
Finito, ainda longe de encontrar meu amor perpétuo e mais lindo...somente lhe digo que deixara indelével marca, sabor inesquecível em meu paladar...
Sob nossa tenda de amor, para sempre tua imagem ali não permanece, pois em meu peito insisto em lhe carregar;
Tal qual aquele de limão, que parecia de laranja, mas era de tamarindo...o amor mais lindo, talvez esteja em mim escondido, para que possa a alguém, um dia entregar...


ISSO, ISSO, ISSO!!!!! (ESO, ESO, ESO!!!) hehehehe




4 comentários:

  1. "Fonte de mel, nos olhos de gueixa...kabuki, máscara...choque entre o azul..." Espere! Caetano é um pouco demais para essa paixão tão bonita, mas não tão bela assim.
    Esperava por demais de uma cigana, espeva coisas que não encontrava em mim.
    Ingredientes perfeitos, para que um amor assim perdure por uma noite, e num alvorecer qualquer, encontre seu fim!


    Por: Fernando Ordani.

    ResponderExcluir
  2. Coisas que não terminam, sem ponto final...reticências que evitassem epílogo, desfecho, fechar de cortinas para que jamais te visse partindo....

    Oh meu Deus O que dizer? Esse romance que é de enloquecer? Vidas quando se poe dois corações ele torna-se um, sorte e a nossa de poder ler e amar suas poesias e com desfecho fenomenal do nosso eterno chavitoooo parabéns menino MARAVILHOSO um dia repleto de inspirações e coisas boas s2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Curtiiiii"??? hheheheheh
      Compartiiiiilha, minina! kkkkkkk
      Valeu, Chaves é fonte inesgotável de inspiração....Chaves e Caetano Veloso? Jesus, que audácia de minha parte! hhehehe
      Valeu!

      Excluir
    2. Muitooo em todas merecido e terá muita atenção como se deve tirar suspiro de manhã é a melhor coisa parabéns :)


      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.