Visitantes da página

sexta-feira

Seguro, em minhas mãos...




Minha mente, para mim não se cansa de mentir... 
Doce, agradável ilusão... realidade temporária que nos fez por caminhos distintos seguir;
Raios de sol, teu sorriso ainda ali permanece fazendo meu dia brilhar... 
Anoitece, véu escuro uma vez mais sobre nós desce... contudo, desta vez, de mim não conseguem separar; 
Brincadeiras à luz do dia, róseo crepúsculo de nostalgia em meu peito a apertar;
Destino estranho, vida e seus desígnios desconhecidos com sua maneira abrupta de dissociar... apartar, temporariamente separar;
Maternidade perecendo em orfandade, contando dias em contagem regressiva para ver seu regresso em visita no céu.... 
Solta, vivendo como se saísse somente para sentir o sopro do vento como paliativo alento... solta ao relento, caminhando ao léu; 
Visão do paraíso,  em sonhos novamente juntos... não desperta mais a carne para deixar de viver a alegria disso; 
Viagem sem volta,  fim de minha viagem... fim da minha revolta... 
Projeção, espectro de saudade, onírica forma de proteção... Deus me concedeu sua vida de presente;
Jamais, solte novamente minha mão....








"Para sempre juntos, eternidade e nem um dia a mais"

Dedicado à história de Thaynara e Gabriel.
Começos que não admitem finais!

3 comentários:

  1. História que por si somente, ou melhor, por duas vidas foram escritas . Reticências, aguardando eternidade.....histórias infinitas.

    ResponderExcluir
  2. Homenagem a você querida, esperamos que goste, com todo carinho e muito e amor, sim ELE SERÁ o ETERNO BIEL e VOCÊ UMA MAMÃE LINDA
    E´PRA VOCÊS QUE DEDICAMOS ESSA POESIA :)


    Começos que não admitem finais!

    ResponderExcluir
  3. não há o que dizer, obrigada.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.