Visitantes da página

quarta-feira

Renascer.

Desamarre as amarras, desfaça maquiagem...desnuda tua cara;
Desarma tuas armas, "desama" quem lhe odeia...sufoque com silêncio a alheia e incômoda fala;
Perca-se, sem pensar no calor de um beijo...siga adiante, toque o abstrato de meus olhos tão distante, somente para dizer que é real aquilo que não vejo;
Encontre-se ou  faça alguém contigo perder a direção, viva intensamente a emoção...
Vida...sem morte Severina que lhe roube todo direito de iludir-se com boa ilusão, vida que seja nobre esquecida missão...salvar um  sofrido coração;
Viver por assim querer, tornar sobrevivência irrelevante opção...
Viver um dia ao menos para si, para o sim que urge em teu âmago por tornar-se realidade, somente por  sentir algo que seja plena satisfação; 
Sem dar satisfação...negligenciar a razão e abrir-se para o sensorial, sentir a inédita ou repetida, intensa emoção;
Ceder, conceder compaixão a quem lhe negara sem piedade no passado, uma mão...
Mundo é teu palco e oportunidades neste circo repetitivo ou itinerante de insanidades, renasce a cada dia, ao pisar o mesmo chão;
Sol no céu, olhos de criança em tua renovada visão...luz que não ofusca, luz que agora persegue contigo teus sonhos e lhe mostra direção;
Viver sem medo de errar...permanecer inerte enquanto tudo gira ou sofra mutação há tempos, já não se faz mais salutar opção;
O show é somente teu, ainda que alguém lhe roube uma boa cena...
Lembra-te que, inata de uma estrela nascida para brilhar, será sempre a condição!
Desfaça a carranca intransitiva, intransigente deste semblante...
Um tapa no rosto de toda voz que se apossa de suposta razão, vida se renova com células que renascem e lhe concedem nova chance.




Um comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.