Visitantes da página

quarta-feira

Nos muros da cidade...



Em um muro de lamentações, vi poesias em forma de pichação, eu juro...
Vi repressão ao poeta de rua, vi fascista fardado...vi futuro!
Encarcerado! Voz do liberto em contrassenso com sonhos de democracia propagados, amordaçado!
Vi mais cadeia gerando votos, vi menos escola perpetuando ignorância e fiéis seguidores, do afável tirano,  devotos!
Vi tudo isso ao vivo, me recuso porém,  ao rever lastimável repetição deste passado, em previsões de tenebroso futuro...sequer em fotos...
Braços de facínoras e déspotas armado...cidadão simples com medo, direito de ir e vir questionado, cerceado...
Mãos na cabeça, mãos contra o muro...morte que se venda, notas sujas de sangue venda os olhos da lei e gera uns trocados, pecados atrozes no escuro...
Braços do inocente, suave transgressor altruísta, da rua anônimo artista...
Audaz em sua inteligência, braços inofensivos...poeta, saltimbanco desarmado, pelo imundo sorridente, algemados...
Vi, monumentos suntuosos edificados, vi abusos e heresia que proferia a palavra sagrada modificada, vi...honrarias aos tarados!
Vi todo mundo estarrecido, olhares inertes, alienados e conformados...
Vi, com desgosto o humano pelo robótica ser trocado, até mesmo do sertão nada se ouve, pois até mesmo por lá...
A velha viola, deve estar em cacos!





2 comentários:

  1. Aos poetas, com carinho...aos facínoras, fascistas disfarçados de "gente de bem", um brinde...com veneno que mata lento, em uma taça de barato vinho!

    Por: Fernando Ordani.

    ResponderExcluir
  2. EXCELENTE MENINO.....
    O fururo da nação, que não existiu... que tal traficar uma boa educação, futuro onde ninguém irá prever......

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.