Visitantes da página

quinta-feira

A origem.



Acordei, que horas eram não sei... como se coisas sobre o tempo não me importasse...
Acordei ávido por vida, por viver sem compromisso... antes, que os raios de ignorância que ofuscam, para um dia comum me cegassem;
Banalidades aos brados, som irritante das mesmas desgraças... deja vu em volume perturbador no rádio;
Ser urbano, mas ser humano...homem da natureza, coração e olhos anseiam por um dia de paz, longe de tristeza...longe de enganos!
Longe da perfeição, porém mais perto do céu azul cintilante...perto dos olhos, dos sonhos, longe do alcance das mãos...
Longe da multidão, sou gado, marcado... com dias para sobreviver e preço de meu existir estipulado...
Precificado, fugir para não subsistir somente à margem de si, renunciar ao passo que lhe conduz à agradável ilusão que tua alma queria....
Viver refém do acaso, mas liberto de pessoas... viver sendo pleno, sem um plano específico...
Viver, ao menos por um dia para sentir- se componente tão pequeno e importante de um todo... paradoxo, para o tempo, embora por um dia!
Viver, embora não possa para todo um sempre ir embora, regresso às origens daquilo que lhe fez ser chamado por gente um dia!




2 comentários:

  1. Regresso às raízes. Simples, como deveria ser.
    Edição :Joice Martins.

    ResponderExcluir
  2. Longe da multidão, sou gado, marcado... com dias para sobreviver e preço de meu existir estipulado...

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.