Visitantes da página

quarta-feira

Te guardar, para sempre.







Como fazer para eternizar em versos, em palavras escritas com coisas que a chuva apaga...o som de sua voz que em meu coração ecoa?
Som que assombra e sem pretensão de encantar, inebriar...ressoa;
Como...guardar em uma caixinha de música, piano de emoções imprevisíveis, em notas que façam rir ou chorar,
Se esquecer ou fazer de algo real, surreal tão pessoal...ao onírico remeter, fazendo de fantasias em vídeos lembrar, em um lugar onde para sempre onde se mereça guardar...
Como guardar...como não pensar no inevitável e evitar que venha a sucumbir diante do tempo?
Como, não deixar apagar aquela chama que imortalizara sendo tão idêntica à ti...vela soprando ao vento;
Como há de perecer todo gênio dócil que não transponha muros de imortalidade da mente, todo ser especial, ser vazio, ser metade, ser pleno...
Todo ser vadio tal qual a mim, forma de ser vivida para sentir e passar desapercebida, quase que à toa;
Saudade, se faz desagradável previsão de futuro de sua presente pessoa;
Gostaria de guardar-lhe como peça mais rara de minha coleção, que o tempo não passasse...
Parasse, e somente me lembrasse que tempo fosse, ao me fazer dormir, acordar;
Em um doce "acorde" de tua canção, me lembrando que para sempre você ali restaria para ser, ficaria para estar;
Mera pretensão, vil ilusão...no quarto de um qualquer, guardar majestosa figura personificada...alma de música, forma bípede de tocar notas inesperadas do coração;
Como gostaria de fazer coisas anacrônicas, ser o tal vendedor de poções mágicas itinerante fazendo meu próprio show...
Em quase pleno acordo, na cadência da canção que sem querer, um mundo para ti conquistou;
Velas ao vento, sacrifício será pensar em um mundo onde tua figura reste somente como boa memória para se recordar...
Creio, acredito que em caixas que sejam vidas, que em histórias que permaneçam, histórias vindouras juntamente ou não com a tua história vividas;
Tempo há de se encarregar, excelência e seleção natural...seja de Darwin, seja das divindades para sempre hão de te guardar;
Velas ao vento que sejam fortes para marcar, para sob a chuvas ou até mesmo tempestades suportar...com uma brisa qualquer poderão partir, porém jamais na eternidade do esquecimento...hão de se apagar!
Quisera eu ter-lhe para mim, contudo...contento-me em para sempre ter-lhe por perto, embora tão longe de meus olhos esteja para lhe escutar;
Da mente, até mesmo daquela mais ausente...não há de sair nada, nada que o coração insista em cada segundo de teu respirar, de seu pulsar...te fazer com lágrimas ou sorriso nos olhos, me lembrar...



 
NO NEED AT ALL TO "BEG", YOU'RE HERE FOR ETERNITY TO STAY, DEAR LAD.
"Tentativas, intentos sobre um mito vivo em versos ou prosa para eternizar...desnecessário, silencie minha voz, pois sempre falho em algo dizer ao senti-la embargar. Deixe a voz do admirador emudecer, deixe a voz da lenda, simplesmente por si mesmo dizer...ou, cantar".



P.S: Sou o "irresponsável" súdito, em eternos tributos a ti, com satisfação a pagar...Sir Elton, coisas indeléveis por natureza, jamais irão se APAGAR!

 Por: Seu eterno fã, Fernando Ordani.

3 comentários:

  1. Sem mais palavras...de seu eterno fã, com orgulho!

    ResponderExcluir
  2. Perfeito menino, testemunha sou dessa admiração. É incondicional seu carinho :') adorei....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Incondicional...me recuso a dizer mais uma palavra sequer sobre este "doce monstro". rs
      Valeu, menina!

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.