Visitantes da página

quinta-feira

Pobre escritor, pobre poeta.







Ser somente bom ou mau emissor de proposital forma de palavra que seja semente;
Ser...para bem ou mal necessário...escritor, escriba, poeta...personificação bípede, de ser tão ordinário;
Dose desmedida, ímpeto incontido...ser aquele que se disponha a ser vidraça, porquanto o normal faça opção por permanecer escondido;
Afável ser, tão incompreendido e deveras, nem sempre forma de vida enaltecida, ser esquecido...leito para ti, é um campo imaginário florido;
Na loucura encontra tua razão, porém de razão parece jamais estar coberto;
Cobertura para ti serão teus próprios versos, que tuas flores, amores ou dissabores...ser sagaz, inocente quando lhe apraz...perspicaz e esperto;
Que sonhos venham a tecer por ti cobertores e lhe protejam do frio dos olhares contra ti conspirando em um decadente universo;
Viver à margem, flertando com o sublime do onírico, um olhar distante do paraíso...viver a quase permear, transpor a inevitável dose fatal...
Ser banal, por tuas mãos coisas se escrevem, ignóbil sonhador de nobre "profissão", predisposto a sentir, ser meio...jamais ser fim...
Ser, disposto a sentir toda dor e todo bom torpor;
Embora não seja lembrado por teu nome, que ao menos respeito por este houvesse...
Ser a desejar que, quando tua presença se fizer da carne eterna ausência, ao menos, uma menção honrosa de tua palavra alguém fizesse...
Ser assim, ser assado...ser meio de transcrição ou versos entusiastas de bom futuro...
Retrato em palavras eternizando reminiscências de saudoso passado;
Ser algo, somente alguém que não se envergonhe sobre aquele copo questão...ser indagação mais que explicação...
Ser...sempre o vazio que mantenha sobriedade, lhe traga segundos de notoriedade e deixe por dizer ao ansioso sedento por lhe compreender, ser metade;
Tua forma, com metamorfoses diárias jamais se completa...tua mente nunca descansa, senão quando teu coração se cansa ou tua respiração cessa;
Medíocre jamais...não renega tua condição inata, mas rejeita toda aversão proveniente de assumidas formas de adjetivos pejorativos personificados, chamados por humanos animais; 
Não queremos ser demais, não queremos ser de menos...queremos ser somente algo, queremos ser "pelo menos"...
Vil intuito de que por ti, por um minuto o mundo não mude...porém, permaneça mudo...
Calar a voz da estupidez que creia que para ser escritor ou poeta, seja necessário dispor de tempo de sobra para ócio...
Calar a voz do estúpido, que creia ser nada além de inútil forma de maconheiro...ou, simplesmente, tão afeito ao teu ópio;
Ser é apenas questão de tempo, estar e restar para algo transformar, um sorriso fazer ocorrer ou uma lágrima fazer derramar...é o nosso "negócio".



2 comentários:

  1. É assim, transformar, um sorriso fazer ocorrer ou uma lágrima fazer derramar...é o nosso "negócio". Sua melhor arte se faz brilhante a cada dia mais....

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.