Visitantes da página

quinta-feira

O "amor"...sugeriu!

Era uma época de atitude...som limpo ou sujo a ressoar numa garagem ou bar;
Era uma época quando música não tinha compromissos que não fossem com o artista...era um tempo, quando a expressão de arte auditiva era feita para protesto ou encantar;
Livre escolha, livre era o talento para se manifestar...liberdade cerceada para plebeus, liberdade cerceada como bom desafio em letras para se driblar;
Sonhos em setenta e duas ou quarenta e oito rotações...em quarenta e oito horas, não se fazia sucesso meteórico a transpor de limites regionais, superar suas próprias limitações;
Ser nacional era sonho, ser original era obrigação...ser cantor daquilo que pulsasse no peito e da mente, se fazia no papel transcrição...
Busca de um acorde, uma batida certa em consonância com o compromisso de atribuir alma àquilo que se chamasse por canção;
Era o tempo...tempo que alguém sugeriu, mas ninguém ouviu....tempo de se "recordar" em fitas cassete, tempos de discos de vinil;
Tempos de ostentação, tempos onde estrelas são esquecidas ao ceder espaço para meteoros em criação...
Laboratórios a todo vapor, vamos reescrever tua canção?
Canção que era minha maior paixão, mas...o amor que não fosse pela arte, sugeriu;
Canção com letras ou acordes alterados, canção em sua essência em algum canto esquecida ou com a própria alma vendida...canção que muitos quisessem, porém jamais se ouviu;
Era um tempo, tempos bons...onde um, dois...ou poucos mais, preocupavam-se com o conteúdo, esqueciam-se da sujeira que trazia algum charme ao som;
Era o tempo que não havia televisão, jatos que não fossem de água para se lavar o próprio recém-adquirido fuscão...pouco luxo, geniais loucos sem interesse em ostentação;  
Foi o tempo do verdadeiro, mas...o dinheiro trouxe cores, criou modas, comprou vidas e a morte da alma em variações sonoras similares, sugeriu;
Foi-se o tempo em que se pensasse em eternizar a própria paixão em detrimento de qualquer tostão...foi-se;
Mas agora...se faz hora de ceder espaço ao novo, embora sobre coisas novas agradáveis em termos de sonoridade, pouco se ouça lá fora...
Que tal esquecer de tudo isso e...paixão demais, colorimos o Brasil!!!!
Vamos cantar este refrão lindo que eu não escrevi minha gente, pois o amor...o amor SUGERIU!    


                                                                              

Um comentário:

  1. P.S: Neste texto deveria haver cor...na canção, deveria haver originalidade que não se vendesse a preço fixo por "amor"....

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.