Visitantes da página

sexta-feira

Não me perguntes, sobretudo...sobre meu destino.






Problema era proposição...genialidade permeando limites perigosos de loucura, solitária conflitante condição;
Beligerantes nuances de mim, tiros trocados em desinteligências de minha própria cabeça...ferro quente a me ferir, ferro frio a dilacerar minha alma....
Nada além, do que não mereça;
Coisas que ferem, coisas que enlouquecem...mente que não cessa pensamento, antes que tu enlouqueças;
Problema era condição, curto-circuito...circuitos em pane, pânico a me consumir em excruciante aflição;
Aquele mesmo rosto pueril amigo, rosto impassível...inerte, rosto em suposta forma de escárnio, rosto que coração diz ser solução;
Contudo, nestas horas coração se cala, emudece toda forma de razoável forma de razão...toma conta loucura, balaço deflagrado de meu âmago...balas;
Em metralhadoras desgovernadas por um ego ferido, palavras proferidas...ímpetos de ódio incontidos, ferindo a quase inocência, tal qual faca afiada;
Problema era para mim somente proposição, não soube deveras lidar com situação...
Se sou assim ferido, sou loucura é para todos meus pecados a devida punição...
Por que não ferir aos demais, porque guardar feridas que doam somente em mim em um quase pleno ato de consentir com própria desgraça, total resignação;
Abri a boca, calei meu coração...deixei palavras mais que mordazes falarem por mim, mordaça nestas horas ou pílulas de alegria quiçá fossem solução;
Deixar por um segundo, horas...minutos o mundo, solução é viajar sem tirar os pés do chão;
Para todo louco como eu há de existir abençoado torpor...bem como a quase certeza que para todo crime, castigo devido deveria ter punição...
Permita-me sair, não se importe se eu tardar a voltar...saí somente para buscar paliativa solução, saí somente...para, em razão desarrazoada de meus internos conflitos, não tornar a lhe machucar.





Um comentário:

  1. Quando me veja em dias assim...não diga nada, deixa tudo em silêncio...deixe a dor de meu próprio dissabor, doer somente em mim.
    Não te preocupes para onde vou...não te preocupes, se porventura seja este meu merecido fim.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.