Visitantes da página

sábado

Idas e vindas...vidas plenas, vidas vazias.






Aceite, algumas pessoas estão de passagem...assim como você estará, assim como tudo que passa desapercebido por sua condição, passará;

Negar é autoflagelo, aceite...pessoas não serão necessariamente amigas, mas cuidado para que não sejam as mais próximas personificações de formas inimigas;

Viver em negação é opção, e do ego e para toda vaidade em um infantil ímpeto de querer por perto, saciedade;

Aceite, algumas pessoas possuem olhar dócil...aparência inofensiva, porém serão cruéis em doses desmedidas, por estranho prazer...serão altamente desagradáveis;

Doçura suspeita de vício danoso que remeta à nicotina...alcatrão, melado...

Mel prejudicial à saúde do corpo e alma, necessidade de amor que se busque para necessitar,  droga ou menina...amor que repele teu aparente desamor, amor naftalina;

Aceitar, deixar viver, deixar amar...deixar vida acontecer e aos poucos sem perceber, morrer...deixar vida simplesmente acontecer e sem acelerar, passar;

Amor não estabelece necessariamente graus de relações, amores não são aves migratórias rumo a verões...amor, é  especial por demais e incondicional para impor condições;

Tu és meu vício, sabido mal que me acomete...me acorrenta, ou sequer se importa comigo desde o inicio;

Não implore por atenção de quem para te amar, demonstre toda forma de desídia...não se contente com a caridade de quem apeteça somente lhe usar;

Não morra sem viver, não se esqueça de amar...não tema o desconhecido, tudo passará ou quase tudo...como coisas efêmeras de uma vida curta, há de ter data para findar;

Olhe para o céu, veja adiante e mova-se...se acaso sentir que aqui não faça sentido para ser teu lugar...

Não olhe para trás se for para se arrepender...não se mova, se não estiver certo que valha a pena continuar;

Não se contente com o menos quando viver peça mais, não se contente em sibilo ao suspirar quando vida peça por lugares abertos, sem acrofobia...sem medos que sejam da pureza do ar;
Se coração não sente plenitude, pulmões pedem por ser plenos...ao menos, para respirar;

Da loucura, ser afeito...com o contaminado e decadente, ser a se acostumar...

Nuvens brancas e límpidas esperam para que possa ver...nuvens brancas, esperam por teu olhar sem esperança, para que algo nelas, lhe conceda a liberdade de imaginar...

Amores que te ama lhe esperam, valor que não seja metal ou carne...sublime personificação ou aprazível solidão lhe aguardam em algum lugar;

Nômade ser insatisfeito...eternamente vazio, ostentando em seu amado dádiva ou maldição da necessidade de algo...
Ainda que nada valha, ainda que muitos anseios peçam por algo mais para lhe completar;

Pessoas serão pessoas, conforme-se e sinta-se confortável com famílias que o destino lhe apresentar...
Em forma de amigos verdadeiros...raros, lhe esperando em algum lugar. 




3 comentários:

  1. "Eu quero você...como, eu quero?" - Kid Abelha
    Desculpe, mas isso não é amor...

    ResponderExcluir
  2. Sem fôlego, excelente texto. Amar sem esperar recompensas, ser leal consigo em primeiro lugar para não falhar, não dar aquilo que não pode para ser o jamais foi, um sorriso não deve ser em falso, como um te amo não deve ser falado da boca para fora... eu estou com você, e que realmente esteja........ muito bom, profundo e marcante, a todo vapor de inspirações ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeitamente pontuado, quando fidelidade é algo altamente questionável em sociedade degradada e sexista...porém, este não é o enfoque.
      Que bom que me compreendeu (rsrsrsrs), quando às vezes acredito mais complicar, do que me explicar.
      Mas, esta é minha arte, logo...faz parte.
      Obrigado, minha querida!

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.