Visitantes da página

quinta-feira

Faltou a palavra.



Penso que pensar será ato livre, que liberte da prisão de olhar vazio, perdido no concreto do teto, em conflito...
Penso que livre pensar, é ter liberdade para em verso ou prosa, falar sobre mares de rosas ou ousar em letras sobre o quão esteja aflito;
A palavra que falta, a palavra que não tenho em meu pobre vocabulário, nada diz sobre a aparente sensação de não fazer falta...sobre ser um alguém tão ignóbil e ordinário;
Valor não terão versos, não terá caráter ou gestos...valor terá dinheiro, porcos ávidos na lama se sujando, regressando orgulhosos a vossos chiqueiros;
Valor não terão cabeças que sejam vidas, mas tua cabeça poderá estar a prêmio pelo que esteja pensando...
Cuidado onde pisa, pois pensar em liberdade é proibido...cuidado até mesmo com o monitor, pois este anda lhe monitorando;
A palavra ainda falta, quando tenha-se plena convicção de que nada tenha além da utilidade de um fantoche por sua nobreza de coração...
A palavra ainda não ocorre, para expressar com precisão o desgosto que flerta com um quase ódio, quando ausência de riquezas quantificáveis, retiram-lhe a coroa de pretenso rei...
Coroando-lhe com uma feita sob medida para tolos iludidos, tão ignóbil pela pobreza que seja tua eterna maldição;
O inimigo de ontem, hoje lhe abraça...afinal abraços e sentimentos também serão conveniência quando seja aprovado um alto valor que uma peça de plástico de uso intransferível, passa;
O amigo de ontem, hoje sobre ti faz troça...fora útil forma de ser assim tão despojada...
Espremeram-lhe até o último caldo cascas de laranjas secas, nada mais natural que o ato desapercebido ou premeditado...que a descarta!
Regresso...olhando para o teto ainda em conflito;
Penso em falar de amor, mas perdão...com este olhar perdido no teto, recordando sobre tudo que perdi por altruísmo imbecil e desmedido...
Olhares divagando, coração que alheio a estação, dia após dia vai congelando...
Siga ignorando, enquanto neste dia ignorado e resignado eu sigo...queria eu versar sobre coisas belas, mas devo ou não um pedido de perdão ao afirmar...que hoje, simplesmente não consigo.




2 comentários:

  1. "Nem sempre, até mesmo sobre arte ou as coisas que deveriam nos fazer esquecer sobre as coisas do triste subsistir, lograrão êxito em fazer sua parte...há coração que se apaixona, em concomitância com palavras mudas de um coração que há tempos se cala...se parte."

    Por: Fernando Ordani.

    ResponderExcluir
  2. Se faltar palavras você ainda consegue inventá-las para que elas nunca se calem....

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.