Visitantes da página

terça-feira

AK-47






Disparo, de minha alça de mira calibrada, nenhuma forma de vida por meus próprios pecados...será poupada;
Disparo e firo, não me importo comigo...projétil que se projeto ao desconhecido, somente para ver algo além de um mero orgulho ferido;
Do rubro de meus olhos em fúria, ouço clamor de todo ato atroz justificável que me chame...quero ver alguém pagar por meu infortúnio, ego destruído ávido por alheio sangue;
Disparo...não interponha-se entre mim e o alvo, saia de minha frente...
Último aviso, ou também terás de um alto preço pagar...ainda, que precificar pecado a ser pago por alguém que desconheço, me traga estranho prazer de ser um Deus que se lembre de ferir...
Quando em noites de desespero, este Deus não se lembre de me ouvir;
Não queria ferir, talvez não quisesse me ferir...meu intuito primordial, jamais fora machucar;
Disparo sem aparente motivo, na loucura não há razão alguma...de qualquer juízo me faço neste instante nú, das vestes de piedade me vejo despido;
Se nada há a ser feito, nada por ser dito...
Nenhuma nova idéia indesejável para que se interponha em meu trajeto de loucura e glória, logo...deixe-me consumar meu ato sozinho;
Se nada há por ser dito, nada há por ser feito, deixe que um projétil feito para ferir, acerte somente o alvo desejado...eliminando um problema de seu caminho;
Afasta-te, tenho imensa afeição por ti, porém cegueira toma meus olhos e ódio norteia a rota de meu premeditado destino...não se faça empecilho, não saia ferido...
Pois, projétil enfurecido, em fulgor se lança feroz...para queimar por dentro e destruir, arrancar o sorriso ordinário em boca maldita de seu algoz;
Ato atroz...nesta hora sou somente eu, sou fuzil e balaço, nesta hora não existe nada que remete a nós...
Que não sejam a ser desatados, alvos a serem assassinados...
Todos merecem morrer...alguns, com requintes de crueldade a perecer em gritos afônicos;
Para que, de vosso desespero, ninguém ouça o grito desesperado que seja prenúncio do silenciar eterno de tua voz. 







Um comentário:

  1. "Cuidado, pedi por paz e deveras...vida me trouxe guerra. Guerra par ser lutada em meu campo, guerra somente minha. Pedi por paz, mas é necessária alguma guerra...não te firas quando não há necessidade, pois esta guerra é do tipo que se luta com solidão e sorte somente como companhia".

    Por: Fernando Ordani.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.