Visitantes da página

terça-feira

Seus sentimentos...meus ressentimentos.

Se feri seu sentimento, me desculpe...mas, para aquilo que não é externo e manifesto, meu olhos se fazem cegos;
Se feri seu coração, me perdoe, jamais tivera a intenção;
Para ninfetas em formação jamais tivera olhares de desejo, porém considerastes ultrajante conduta por parte de um homem deveras formado, desde então;
Recusas por aproveitar-me daquele "ensejo";
Se fiz parte de seus sonhos, me absolva...deixe-me partir e não guarde ressentimentos;
De bagagens indevidas já me vejo exausto e não tenho hoje culpa, por vosso desprezo;
Se fiz parte de um passado, deixe passar...sua vida seguir, vivendo assim aparentemente feliz;
Jamais fizera parte de meus planos e se eu fizera dos teus, perdoe-me, reitero!
Por sem querer, lhe fazer infeliz;
Se estou vivendo uma vida que para ti se parece independência desprezível;
Ao menos, uma tenho para viver, rejeito aparências e não necessito de máscaras que ocultem dos meus pecados, até o mais horrível;
Se vivo como quero e não como quis...perdão, a vida acredito que a mim fora emprestada, mas a ti jamais pertencera;
Pressuponho que sejamos relativamente independes, quiçá indivíduos...
E pretensão será sonhar sozinho na intenção de enxergar-se solitariamente, numa união...ser de quem dispensa sua presença uma pretensa parceira;
De ti pouco me recordo, mas ao infelizmente te rever posso enxergar;
Ler em seu sorriso estranho outrora limpo e franco, sua dor e ódio por talvez, ter minha imagem diante de ti, a gosto ou contragosto de me contemplar;
Mais forte ou mais fraco estarei, por caminhos distintos dos seus continuarei a caminhar...de sua vida não sei, por ferir seus sentimentos sequer deveria estar a me desculpar;
Aquilo que não é consentido, não será sequer algo para ser crime ou paixão...
Jamais aquilo que não batera uníssono seria amor, que não se parecesse com mera forma de compaixão;
Diverso e alheio a tudo que imaginara, sigo meu tortuoso caminho;
Não sou mais aquele que idealizara, talvez jamais fora e nunca tivera a intenção de ser...haveria de preteri-la, ainda que fosse para restar sozinho;
Desejo-lhe sorte, ainda que pareça me lançar na frustração, um olhar de maldição que não se oculta em seus olhos, agora, de uma adulta;
O coração de uma juvenil magoada que a mim a morte sem querer deseja, e sem palavras proferir, após tantos anos passados....me insulta.








2 comentários:

  1. Perdão guria....daquele coração que se desenhava para mim, somente em sua mão, eu não sabia.
    O meu, por ti jamais batera...não batia.
    Foste uma doce e encantadora forma de amiguinha, fora para ser de qualquer um, porém jamais fora feita para ser minha.
    Adeus.

    ResponderExcluir