Visitantes da página

quinta-feira

Senhora rezadeira, senhora verdadeira!






Precisa-se de uma benzedeira...pra curar, extirpar maldade vindoura, ou que já acomete aquilo que se chame por alma;
Precisa-se de uma benzedeira, assim tão cético...reclamando pelo regresso de algo que valha, que seja paz, mas não a paz que apraz ao canalha;
Precisa-se de benzedeira, para expulsar maledicências, para cessar testes de paciência...mandar embora maldade que se aproxima iminente, como víbora rasteira;
Senhora rezadeira, seja comigo deveras realista, seja realmente verdadeira!
Diga se estou assim a perecer nesta ardil febre, neste ardiloso febril estado que na face se faz rubor;
Diga-me se me pego assim adoentado, se não somente por alheia intervenção que me roga desejos explícitos ou implícitos, por percalços...queda, dissabor;
Diga-me, se não seria somente por desamor...diga-me algo, mas não deixe-me como se estivesse a tecer monólogo no tecido da cortina que encubra meus próprios pecados...por favor!
Precisa-se de uma benzedeira, daquelas com forte fé, pois sobre fé reconheço que pouco sei...sequer saberei ao certo, sobre o chão tão concreto sobre o qual pisa meu pé;
Benzedeira, que benze com arruda, socorro me acuda...reze aquela boa reza, que só a senhora entenda, que os anjos que me abandonaram ouçam...que as divindades que esqueci, tanto prezam!
Benzedeira, senhora do bem...senhora que é dádiva dos céus, nada cobra por aquilo que lhe fora dado, logo será audácia por demais lhe requisitar que seja verdadeira...
Diga-me se sou semente ruim, se sou amargo remédio servido em doses necessárias ou desmedidas para remediar coisas sem jeito, coisas ruins...
Diga-me senhora, viver vida verossímil em prosa ou verso, viver feliz por um segundo no clímax de letras que se encontram, mas soturno em meu próprio pequeno universo...
Diga-me, se sou solução...ou definitivamente, se sou eu realmente tudo aquilo que mais detesto.
Senhora rezadeira...senhora, verdadeira, dos céus, encarnada forma de mensageira!




3 comentários:

  1. Último suspiro de inspiração de julho...talvez, da temporada inteira.
    Diga-me senhora...estou pronto para a verdade, ainda que verdade não seja lisonjeira!

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. É...perfeitamente bom, para ser odiado. Perfeitamente bom para ser ignorado ou mal interpretado...incompreendido.
      Perfeitamente ótimo, para que eu seja repreendido, preterido.
      Sinceramente...não sei por qual motivo, o destino para escrever...justo eu, tenha escolhido!

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.