Visitantes da página

segunda-feira

Orações e conjurações.

Por detrás daquela porta, ocultavam-se olhos que se faziam proposital incógnita;
Por trás nada se via, vozes em baixo tom se ouvia...se era boa reza ou má intenção, porém, jamais se soube...nunca se sabia;
Detrás daquela porta intransponível, ouvidos de forma inevitável, curiosos penetravam...
No intento de ouvir o que se parecia com prelúdio de toda intriga, se era devido ou indevido...mente a repreender, coração consentia;
Havia uma senhora, conhecida outrora...porém, seu presente punha em proposital dúvida, tudo sobre o que esta se sabia...
Restava punhal inesperado, restava punhalada à revelia;
Pouco ortodoxa, ora dócil, ora obtusa em gestos e palavras...perversa em perjúrio e bravatas;
Bons desejos de ameaças veladas, belas palavras sobre as quais não parecia saber nada;
Contradição em atos, contradizendo fatos...detrás daquela porta, uma vez mais a afável, contudo agora carregada de perfídia...detestável senhora;
Sentidos também desistem, ouvidos se cansam....
Nada será mais sábio que não tentar compreender ímpetos de suposta loucura tão malévola, que há anos não se entenda;
Nada será mais tolo em tentar ensinar ou insistir em favor ou contra supostos donos da razão, anos perdidos com quem nada aprenda;
Ombros então serão dados, melhor a desistência tão sábia, em relação à estupidez de persistência...melhor há de ser sair, antes que se perca totalmente o que se chame por paciência;
Havia uma escolham, incógnita optou por permanecer esta senhora...
Semblante sorri, alma ferida por ti...já não mais chora;
Siga, sendo desconhecida, siga sendo a ser somente alguém que por trás de algo se oculte, seja por trás de olhares, trejeitos ou portas;
Cheiro de vida que padece e faz padecer, odores de flores mortas;
Aquilo que se diga translúcida forma de vida, jamais haveria de necessitar viver...
Viver, a se ocultar detrás de olhares e portas! 




Nenhum comentário:

Postar um comentário