Visitantes da página

sexta-feira

Mais um ano, sendo humano(a).






Abrir de olhos, lágrimas disfarçadas, pranto escancarado...
Abrem-se colinas para que se faça luz...para quem somente com escuridão, já se fazia acostumado;
Sorrisos logo se sucedem ao choro, nove meses de espera...toda forma de êxtase se supera, na
ânsia por contemplar o desconhecido vindouro;
Bem-vinda! És linda...esperava um garoto, mas vontade do destino ou do dia, pediam por uma guria;
És agora parte, tal qual ao átomo, indivisível de mim...és agora, minha mais estimada forma de tesouro;
Em um dia qualquer, mas não qualquer dia...chegada inesperada, paradoxalmente aguardada;
Recém-chegada, forma de vida tão frágil, olhos curiosos...do céu, indiferença se fazia para a cor que fosse motivo, para que na íris destes novos olhos, intensamente se fizesse prevalente o brilho;
Fui sorriso, fiz chorar...fui aquilo que se espera de humano, em sua natureza tão imprevisível;
Imprevista forma de vida, à tona trazida...simbiose de corpos, fruto do amor, forma de vida ímpar...ser singular;
Dia memorável, dia para se registrar...espera que finda com fagulha divina advinda, de malícia despida e sem saber falar;
Vida...da forma que se espera, pequenas formas humanas que instintos maternais aguçam, instintos masculinos, por vezes desespera;
Espera por um nome, afinal de substantivos próprios que agora se chame por identidade, todo ser vivo que se chame por gente há de necessitar;
Vim para ser, vim para estar...cheguei para ser verbo, fruto da conjugação que se fez no pretérito do verbo amar;
Tempo necessita passar...vida gera outras vidas, porém de chegadas assim, jamais se esquece;
Momento da concepção, dia de felicidade que não faça distinção entre classes...coisas que se parecem marcadas à ferro e fogo, eternas enquanto durem...remanescem;
Todas felicitações hoje desejadas, remetem por um segundo a todos os passos que conduziam ao erro...ao tudo, ao nada...
Obrigada, presentes que sejam singelas palavras, coisas de muito valor, coisas que digam que nada valha;
Mais um ano sendo, mais um ano vivendo...neste dia especialmente, um pouco mais a me sentir renascendo...
Vida vai passando, fatos e fotos registrados com o tempo se amarelando;
Vida vai continuando, dias serão sempre parecidos, porém jamais iguais;
Pessoas serão comuns, comumente tidas à primeira vista desinteressada ou altiva, como nada especiais;
Vidas possuem nomes, histórias...registros;
Vidas não deveriam ser restritas a números, embora sejam curiosos e quantificáveis seres, em amores e conflitos...abraços que precedam atrito, dores que se apagam em abraços e novos sorrisos;
Repetição daquilo que se faça notória distinção...iguais, para toda forma de superficial visão;
Vida em toda forma é digna de celebração, peço-lhe sem necessidade um minuto, neste dia tão meu, de vossa atenção...
Pois, hoje como de costume, há estrelas no céu...porém, não me culpe por ser nascida humana e querer brilhar um pouco mais que todas, aqui mesmo neste chão!  


2 comentários:

  1. Pois é, Jaqueline! Quase que não sai no dia!
    hehehehe....lembre-se, se você é jovem ainda....o resto, já sabe :)
    Parabéns, muitas felicidades e prosperidade em tua vida, sempre!
    Abraços!
    *Texto dedicado à minha amiga, Jaqueline de Paula Martins.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns menina que esse seja apenas mais uma primavera, receba essa criação de todo nosso coração.... Fer obrigada sempre os amos :')

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.