Visitantes da página

sexta-feira

Sorrisos assim. (La mia Gioconda)



Sorriso para mim, talvez risos a fazer troças que se ocultam em teus caprichos, assim;
Displicente fêmea, jogando seus encantos ou debochando da curiosa e tímida figura, diante de si;
Troças de mim, sorrindo assim;
Não seria eu digno de tocar com mãos inocentes ou profanar ímpar personificação de beleza tão surreal para ser humana, que emana perfume de jasmin;
Sorri em verdade, quando penso que está a ser jocosa acerca de mim;
Pensamentos dissonantes, pensamentos conflitantes...patético então me faz, a fazer jogos mentais tão cruéis com um simplório ser tão masculino e rústico assim;
Sorriso para mim, ou risos acerca de mim?
Jamais saberei decerto, nunca saberei ao ser por ter sido semelhante covarde que deixou aquela ímpar oportunidade de singular forma de musa, ser passado em memórias, ser história com triste fim;
Musas e seus encantos, fêmeas e seus apelos...jasmin;
Ser tão patético que sou, não saberei sequer se o destino me permitiria a proximidade de anjos, ou súcubos, assim;
Não sei se viera para ser realmente passado, não sei se viera como que caída do céu...sem embrulho com bilhete e dedicatória, como presente para mim;
Simplesmente lamento, simplesmente não me contento e, até mesmo, em noites de paz...imagino distintos finais para uma curta trama que se passou assim;
Se era aventura, se era complemento de meu ser e encantadora forma de ternura...se passou;
Perdi minha chance de ao menos lhe indagar o que sentia, se ria...ou se sorria para mim.



Um comentário:

  1. Mulheres...com sua capacidade inata de encantar e confundir...
    Acalmar e enlouquecer, sutilmente assim.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.