Visitantes da página

quarta-feira

Pesos iguais, medidas desiguais.



Às vezes, pode ser que foi...mas, se foi, eventualmente pode ter ido tarde;
Boa tarde, que pena...nosso carinho em nada se converteu, pois traiu minha lealdade optando pela conveniência;
Triste, muito triste...tudo o que fora um dia nada mais será, sequer serão dignos de repreensão ou elogios nossos atos, mãos que acariciam ou dedos em riste;
Quando se descobre que sua vida nada mais seja, além de um mero meio para determinado fim...a princípio, chega-se a desejar o próprio fim;
Meu único pecado, talvez fora nascer...meu único pecado talvez foi permitir a alegria dos tolos,  conformando-se com a tristeza que sempre coube a mim;
Porém, após breve ponderação...embora tardasse suficiente para escurecer durante anos minha visão, percebi que o problema jamais fora flor, mas toda forma de crueldade daquele infértil chão;
Pedir que a flor crescesse, pedir que cores mostrasse, embora proporcionando nada além daquilo que seria motivo para que hoje, esta perecesse;
Pedir por um sorriso, quando de sorriso assim amarelo por tua desgraça, parecem dançar e celebrar na leve harmonia de uma valsa;
Pedindo hoje novamente para esquecer passado, mas passado se faz por teus atos recorrente;
Nossa vida jamais se assemelhara à rio que flui, mas com água estagnada e contaminada tão somente;
Água corrente...agora seguindo adiante, não penso sequer por um instante se ficara para trás, ainda que esteja diante de meus olhos à desgosto, em minha frente;
Tornara-se obstáculo a ser superado, quando um dia pensamos juntos em superação;
Tornara-se página queimada no livro inexistente de minhas memórias...tão cruelmente por duas mãos atirado ao chão;
Sou água corrente, porém também serei sopro impiedoso de dragão;
Dois pesos distintos, medidas distintas...ação, gerando nada além de justificável reação;
Se hoje temes um estranho monstro pelo mundo criado, lembra-te que desenhaste em meu semblante, a mais horríveis das faces...me esquecendo na solidão;
Sigo adiante, não obstante tua intervenção constante...tua aprovação, teus carinhos ou atenção...guarde no presente, como memória para se lamentar em tua estante.






Um comentário:

  1. Você pensa na primeira...ela é falsa. Você então, recorre à segunda...ela falha.
    Logo, pensa no terceiro...ele, não vale nada.
    Adeus, decidi seguir adiante...explodi a casa.

    ResponderExcluir