Visitantes da página

terça-feira

Faces faceiras, verdades...e meias.

Quantas vidas possui para se viver, que não seja a minha e a tua?
Quantos quilômetros a percorrer, muros a transpor...para que algo que seja teu, soe literalmente como deveras, coisa sua;
Estive aqui e não sou verbo antes do próprio ser...mas, minha presença, assombra sem querer...assusta;
Não me lembro de real intento que fosse meu, de contigo "conjugar", tampouco me recordo de coisas sobre conjurar...
A estrela que para mim suspira, equidistante em um universo incerto está, quiçá...para aquela que apaga a tua;
Poeira cósmica, átomo inerte que de vida não disponha para ser molécula;
Da vida e coisas sobre amor, tão pouco quanto sobre si mesmo sabe...nada além do próprio infortúnio que causa, um assecla;
Toque...mas, toque ainda na mesma tecla;
Tente atingir estruturas metálicas em tua fragilidade, tente tocar o intangível para ti...aquilo que jamais acerta;
Não acerta, em versos se perde...se complica, para tolos incompreendidos se assemelha ao dono de um circo...
No entanto, jamais se passara de palhaço para entretenimento, em tua própria festa;
Fique com os louros, seja ídolo de aspirantes e calouros...fique com aquilo que mereça, aquilo que lhe resta;
Amizade caminha na contramão do orgulho, mão que se estenda em verdade...não se fere ao divertir-se com o alheio e aparente infortúnio;
Jamais preciso, daquele que nem sempre é preciso, porém sempre em figuras de linguagem diversas, tergiversa;
Jamais preciso...daquilo que tem rosto afável de um amigo, porém de poses e apelos parece viver, será nada além de amável forma de fera;
Faço minha próprio história, infelizes foram as linhas que se desenharam tragicômicas ao cruzar aquilo que seriam retas paralelas que não se cruzam, nossas distintas histórias;
Para toda estrela pretensa e precoce...pouca consistência há de trazer súbita supernova;
Não tente somente...seja;
Não diga saber ou ser entusiasta do que seja amar, se tudo o que oculta é veneno em teu dócil olhar;
Seja verdade, tenha somente a si mesmo como parâmetro diário, para superar;
Seja verdade que não seja aparência, mas seja verdade que não seja verossimilhança, viva e descubra em teus incertos versos a dor ou glória que lhe caiba, coisa verdadeiramente tua;
A cada qual cabe a própria desgraça para sorrir, a cada qual cabe sua própria dor para sentir...
Fingir...muito mal, sobre verdades, alimentar tuas próprias vaidades;
Realmente, que pena...vida que não sejam letras esperam também o poeta, para que a poesia soe singular para não se parecer cópia ou mais do mesmo, poesia pede vida e não somente pretensa alegria...
Poesia, pede que soubesse ao menos ser leal, ser mais real que artificial...
Viver em verdade...não somente suposta intensidade que oculte, talvez, auto piedade e se registre por um dia;
Vidas seguem, e vida não é somente fantasia...porém vida, há de pedir reciprocidade, senão soa somente hipocrisia;
Que pena meu caro, realmente...não foste o que eu esperava e talvez, eu não fosse o que queria, se é que queria;
Verdade agora se faz vivendo na chuva, sob o sol com sentidos aguçados....viver natureza, viver que seja rua;
A tua, não sei se então se encerra...a minha, metamorfoses em verdade sou, vida para mim sempre há e de formas que jamais compreenda, continua.




11 comentários:

  1. Para versar com, ou contra a experiência...precisava de um pouco mais de decência,
    recém-descobertos vocábulos de erudição. Necessitava de um pouco mais de humanidade em teu
    estranho coração "irmão".
    Já chega...há de ter um indigno fim, para toda estúpida brincadeira.

    "Sua chance de aparecer...pesquise um pouco mais, garoto wikipédia. Chance de aparecer, mas aqui será onde tua máscara cai e tua reputação se sepulta...se enterra"
    FERNANDO ORDANI!

    ResponderExcluir
  2. Realmente, que pena...vida que não sejam letras esperam também o poeta, para que a poesia soe singular para não se parecer cópia ou mais do mesmo, poesia pede vida e não somente pretensa alegria...


    ibope atras de uma carinha? ME DESCULPE CIDADÃO, FERNANDO ORDANI TEM MUITO MAIS O QUE FAZER, O RESPEITO DELE É CONQUISTADO COM ESFORÇO E NÃO COM IMBECILIDADES....
    SE É JOGADOR, ENTÃO NÃO FAZEMOS PARTE DESSE JOGO RIDÍCULO, HÁ VIDAS AQUI E NÃO SOMENTE CAPRICHOS, UM DIA SUA MASCARA CAIRA, TENHO DITO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa...rsrsrsrs...pega leve, ele é "menino" ainda Joice!
      kkkkkkkkkk

      Excluir
    2. ELE É UM RIDÍCULO QUE QUER CONFETE, E AS ALELUIAS QUE SEGUE ELE, SÃO FARINHAS DO MESMO SACO.

      Excluir
    3. P.S: é que uma das virtudes de nós paulistas, é que somos SINCEROS e olhamos nos olhos.
      Em certas regiões, mentir ou ter caráter dubitável, é costumeiro.
      Direto ao ponto...simples.
      Perdi meu tempo, quando poderia estar fazendo algo realmente produtivo, mas palhaços sem graça não podem sair sem...o GRAN FINALE. Que mereçam, é óbvio.

      Excluir
    4. não é mesmo? você consegue fazer um texto, uma poesia sem esforço, as letras você não escolhe ela que escolhe você, DOM É DADO A PESSOAS ESPECIAIS O RESTO É .... SEM NECESSIDADE ATÉ DE FALAR.

      Excluir
  3. Lamentável pessoas assim, os verdadeiros estão ao seu lado sempre Fernando eu Juliana Ribeiro estou com tigo sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Juliana! Lamento, por estar escrevendo isso.
      Mas, muito grato.

      Excluir
  4. Respostas
    1. Não, lastimável.
      Mas, obrigado pela exclamação que presume um elogio.

      Excluir
  5. Jamais poeta...poesia, é por quem leia assim eleita. Assim, será escolhida.
    Sou somente "um cara que escreve".
    Tenho dito!
    Sem mais.

    ResponderExcluir