Visitantes da página

terça-feira

Brincadeiras e brinquedos.



Alguns pecados serão perdoáveis, serão ponto de vista, mas cuidado como isso soa;
A vida passa, oportunidades de falar ou calar ocorrem, porém há persistência em escolher conveniência...variáveis, como há de variar objetos ou pessoa;
Eu brincava aproveitando-me na inocência, de tua amizade...
Tu brincavas, com minha amizade aproveitando-se de minha inocência;
Em teus olhos acreditava enxergar nada além de verdade, contudo minha cegueira para maldade ocultava tua real essência;
Ausência...daquilo que se chame por caráter, veste-se de amor a velha entusiasta da maledicência;
Paciência...é o que resta, máscaras não mais se vestem, respeito ou carinho já não resta;
Dissera então que brincava comigo, que sente saudades de falsa realidade quando vida seria supostamente boa;
Dissera então, que com verdade jamais faltara, que jamais premeditara...que tudo fora ao acaso, ou fruto de minha escolha;
Vida não se vive assim, viver deveria ser displicente caminhar ao léu, como a pluma que tarda em ao chão repousar...por gostar do ar, de aproveitar sua viagem à toa;
Sobreviver não deveria ser opção que não se faça, se parecendo com livre arbítrio para quem já não tenha escolha;
Maldita seria a sina então daquele começo de tarde onde houve concepção, quando talvez de uma árvore caía cheia de lamúrias por vida que se perdia, uma folha;
Diferenças sutis, nada se oculta doravante, quando sorrisos sem graça já não ocultam de meus olhares, suas intenções de manipulação e condução de vidas, como se fossem do sabão...meras bolhas;
Inteligência se faz prevalente, astúcia então agora, se faz tola;
Lembro-me então que brincava com versinhos, você brincava com pessoas.




6 comentários:

  1. Para você...ou, para quem sirva. Talvez, sequer você seja digno(a).

    ResponderExcluir
  2. Sentar, respirar. Se esforçar? Não definitivamente NÃO, SERIA CAPAZ DE ESCREVER DISSO? HUM ESTÁ PRONTO VEJA LÁ. MEU MENINO, MENINO SEJA MEU, NÃO SEI O QUE FALAR DE SUAS POESIAS MEU POETA.... NÃO HÁ PALAVRAS QUE SE CABE PARA AGRADECER E DIZER PARABÉNS VOCÊ E DE MAIS.....


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou demais...as coisas ocorrem no momento preciso, quando é preciso, menina.
      Obrigado pelos elogios...mas, "a vida e as coisas", sabem muito sobre mim...rsrsrsrs.
      E atendem meus apelos, quando se faz o devido ensejo.

      Excluir
  3. Interessante, trocar de roupa, se sujar, lamentar, caior e levantar. Desviaram os fatos, o que fazer quando a fortaleza tremer? E quase tudo ao seu redor de melhor se corromper? Sofrer mais uma vez então, estender a mão e se arrepender de certa forma eu cresci vendo meu mundo extremecer.
    Borrou a poesia triste do poeta, brincou com vidas para tentar se dar bem, e se há um Deus maior que tudo a justiça será feita com letra e poesia não há de borrar, a lamentação irá então vim da boca de um ladrão.
    Valeu ai amigo esse rap para você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cidadão que se oculta...como gostaria de apertar-lhe a mão pessoalmente!!
      Genial a letra, disse melhor que eu mesmo sobre o mesmo tema.
      "Borrou a poesia do triste poeta"....
      Poetas, deveras, quase que por via de regra são seres melancólicos.
      Ou, simplesmente, seres distintos escolhidos pela vida ou pelas coisas...narram em versos ou prosa sobre onírico, real...tétrico ou bucólico.
      Abraços, amigo rapper!

      Excluir
    2. P.S: O ladrão, às vezes veste um bom disfarce...porém, como o amigo ressaltou, nada se oculta do divino olhar, embora da visão falha humana escape.

      Excluir