Visitantes da página

sexta-feira

Apre(en)der.

Cidadão não é bandido, que ao cercear seu livre arbítrio, se prenda;
Palavras serão simples palavras, usá-las com sabedoria não há escola que não seja vida, onde se aprenda;
Poesia não será ciência exata, coisas que a ciência explique ou compreenda;
Não será crime o exercício de sua inata habilidade, porém não espere que o boçal não sinta inveja, ou como soberba audaciosa sua...não entenda;
Pena é pensar que toda mente outrora sonhadora ou corpo, outrora imaculado...hoje, tenha preço e se venda;
Trabalho não é sonho, sonho não é trabalhar...mas, dá trabalho sonhar em meio a pessoas de alma tão pequena;
Discutem por uma vida alheia...dois lados distintos;
Há de gritar em pedido de socorro ou surto psicótico esta vida, cansada de calar ao afirmar eu existo e não mais consinto!
Aprender a amar é possível, aprender a odiar...com o tempo, se torna fácil, apesar de soar horrível;
Aprender a repreender aos outros será fácil, repreender a si mesmo...jamais, é tarefa difícil;
Pedir por aquilo que não sou ensinar, cobrar resultados de uma vida com a qual não soube colaborar;
Pedir pelo perdão que não soube dar, apreender vidas, fingindo ser amar...será ato inominável que transcende terrível;
Desfaz-se tua maquiagem e revela-se falha de caráter que se ocultava por trás da máscara social que usar, tanto lhe era aprazível;
Aprendi a silenciar e evitar...aprendi por si somente o que é bom ou mal, logo...afasta-te de mim, ser desprezível.



 

Um comentário:

  1. Ensine sem pretensão de talvez ensinar...o bem intencionado, há de aprender.
    Apreenda, repreenda sem ensinar...o bem intencionado, se liberta e passa a desprezar você.
    Ensine o idiota e...ótimo. Criou uma cobra para te morder.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.