Visitantes da página

quinta-feira

Execitando paciência





Sinto que ainda me resta alguma paciência, porém o pouco que me resta estou a ponto de perder;
Sinto que o muito que me resta se assemelha a quase nada...sinto, que quase já não há mais motivos para, por minha própria vida, ao desperdiçar...temer;
Paciência não deveria ser algo que sempre se exercita, paciência...tua hora há de chegar, mas tua face envelhece e tua saúde padece nesta sociedade maldita;
Sinto que não consinto mais o aquilo que vejo, que desejo parcialmente aquilo que desejava outrora...como a juventude há de ansiar pela lascívia e mistérios de um caloroso beijo;
Sinto perder o interesse, sinto que nada mais me interessa...sinto que faço papel de idiota, quando no papel faço minha arte que se parece aos demais ignóbil perda de tempo, coisa que não tem valor...não presta;
Interessante...quando se peça um minuto para ponderação, quando na verdade tudo o que se queira na verdade, seja barata e estúpida distração;
Interessante...como há de se clamar por inteligente uma população, que sequer compreenda vocábulos simples de sua própria língua, ou o real propósito de sua condição;
Não se deve ter piedade de quem tenha escolha e venha a optar por ser eternamente estúpido e recuse evolução;
Não se deve ser sequer agradável...com aqueles que desconheçam princípios básicos da empatia ou de boa educação;





2 comentários:

  1. "Não se deve ter piedade de quem tenha escolha e venha a optar por ser eternamente estúpido e recuse evolução. Não se deve ser sequer agradável...com aqueles que desconheçam princípios básicos da empatia ou de boa educação."

    ResponderExcluir
  2. Um exercício diário, difícil? É sim e às vezes quase impossivel ter paciência com quem nos tira o tempo todo, e faz questão de atrapalhar com sua ilustre indesejável presença.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.