Visitantes da página

quinta-feira

Espera por pérolas.






Talvez alguns esperem ou nem mesmo se lembrem...talvez poucos se importem ou com olhos de desprezo, ceguem;
Talvez, seguem sem saber com exatidão o propósito desta personificada ostra, esperando por coisas belas;
Quiçá, haverá no dia vindouro algo distinto para se admirar, alguma raridade que realmente se denomine de pérola;
Porém, há de chegar o dia em que feridas sejam somente feridas e lágrimas, somente lágrimas;
Há de chegar o momento em que feridas não venham a cicatrizar, em pérolas não venham a se converter e esta estranha ostra...esteja, para sempre destinada a sangrar;
Talvez por seu tempo haver chegado, talvez por contemplar com olhos soturnos seu manancial de inspirações para sempre, se esgotar;
Talvez...a jóia mais rara, a coisa mais bela e mais cara já não lhe pertença, já seja algo público para usufruto das massas;
Já basta todo pranto, pois sinto que dentro de mim não há nada além de um coração ferido...que rejeite até mesmo inspiração e petrifica-se aos poucos, diante de dissabores, desventuras e desgraças;
Já não vale a pena chorar, pois pérolas não desejo mais em forma de letras escrever...considerando que com estas, ninguém, por rejeição infundada à minha pessoa, há de se importar;
Se esperam por coisas distintas, idéias novas ou coisas escritas que os olhos jamais tenham lido, persistam em esperar;
Quem sabe, surja um novo poeta menos ignóbil ou desprezível, ainda que sem compreender o motivo...
Quem sabe, uma nova ostra em pleno processo de produção, do fundo de um mar de medíocres, vocês não venham a encontrar;
Até mais...por mim, por favor, desistam de seguir...pois, não sou sequer interessante para isso, ou cessem qualquer atenção, quando seja para em segredo detestar e não, em realidade admirar;
Vão para o inferno, ou para o céu...vão para onde certamente, não deverei estar;
Vão para um lugar, onde estarei certo que jamais pessoas como vocês, novamente terei o desprazer de meu caminho, cruzar!






3 comentários:

  1. "Há de chegar o momento em que feridas não venha a cicatrizar, em pérolas não venham a se converter e esta estranha ostra...esteja, para sempre destinada a sangrar. Talvez por seu tempo haver chegado, talvez por contemplar com olhos soturnos seu manancial de inspirações para sempre, se esgotar..."
    SEM MAIS, NÃO VALEU A PENA.
    ADEUS.

    ResponderExcluir
  2. Sempre há uma esperança você me ensinou a nunca desistir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora, não estou lhe ensinando nada. Feche os olhos e não veja isso.

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.