Visitantes da página

segunda-feira

Bem-me-quer....






Bom conviver, não necessariamente se traduz em bem querer;
Bem como, nem todo mau coexistir...há de significar desejos de maldição, olhares que façam a alma agonizar e sucumbir;
Servem-se os mesmo pratos, negam-se recentes e tragicômicos fatos...
Procura-se dentro de corpos agora estranhos e vazios, um ser que costumava reconhecer e que gostaria de ver ali, ainda existir;
Coisas insípidas como aquilo que agora, se serve...coisas das quais se ri, mas graça alguma têm, enquanto estranhos tão familiares bebem e se divertem;
Mais triste que toda ausência sentida de falsa afeição ao menos, ou real carinho...mais preocupante que sentir perder os sentidos e estar a enlouquecer sozinho;
Em tragos voluptuosos se consome todo refrigerante barato, cerveja ou vinho...lentamente se consome minha paciência, porquanto tudo observo calado, despretensiosamente preocupado...
Perdido, como perde-se na parede como se fosse horizonte meu vazio olhar...em minha mente um filme nefasto, em minha realidade, um prato servido para amargar;
Bem me quer, mal me quer...já não sei ao certo se errado estaria eu, estivesse onde estiver;
Não sei ao certo o porquê de ainda estar, não sei decerto, o motivo de ainda persistir na mesma cena estranha e tão familiar...que me causa ojeriza em um simples relance atento de olhar;
Bom conviver, não significa necessariamente que eternamente aqui deveria permanecer;
Como muda testemunha...tão inerte e estúpida, para da felicidade estranha alheia, diante de meus olhos testemunhar, odiar e com ela, me entreter;
Hei de ver novos pratos, hei de sentir novos gostos e aromas...hei de novamente voltar a viver;
Quando definitivamente daquilo que já deveria ser passado há tempos, deixar passar....
Quando, por definitivo...memórias tão presentes de um passado tão ausente, eu deixar morrer.



6 comentários:

  1. "Mais triste que toda ausência sentida de falsa afeição ao menos, ou real carinho...mais preocupante que sentir perder os sentidos e estar a enlouquecer sozinho..."

    ResponderExcluir
  2. ......
    Como se ja tivessem me narrado. Mal me quer e o bem ainda persistente em me fazer acreditar que devemos confiar que algo vai sim acontecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando o bem se desenha somente como memória em um longínquo passado...estúpido é o nosso coração, em persistir naquilo que já não vale a pena.

      Excluir
  3. "Mudaram as estações, nada mudou..."

    ResponderExcluir
  4. Mas eu sei que alguma coisa aconteceu, tá tudo assim, tão diferente...
    Ótimo texto, pensante, reflexivo gostinho de quero mais, devoro seus poemas entro neles assim como eles consegue entrar em mim;

    ResponderExcluir
  5. Muito agradecido! Seja sempre bem vindo (a) por aqui, caro(a) amigo(a)!!!
    Abraços!!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.