Visitantes da página

sexta-feira

Textos, parecidos com poesia.








Nem eu saberia dizer...se seria um texto em forma de poesia, ou se seria poesia em forma de texto;
Para expor sentimentos necessito de segundos, para transcrevê-los....uma oportunidade ou um pretexto;
Nem eu saberia dizer, se seria texto parecido com poesia, ou se toda poesia deveria ser sobre alegria;
Pois, poeta em verdade não sou...sou apenas um escriba repleto de oscilações e consumido por melancolia;
Faça-se cair o véu da noite, faça-se raiar a luz do dia;
Não saberei ser sucinto para ser poeta, não saberia ser conciso para narrativa...crônica com requintes de maestria;
Sou apenas um cara que escreve, meus versos se fazem precisamente aquilo que é preciso para aliviar um peito perturbado de tristeza ou alegria;
Sou apenas um cara...alheio à tudo, alheio ao mundo...que escolheu pela verdade, em formas distintas de palavras que se disponham em uma estranha forma de pretensa poesia;
Da natureza, me contento por escrever de forma disforme e quiçá emotiva...sobre tudo que esta com certeza, já sabia;
Da natureza, sou grato ser que simplesmente faz sorrir ou chorar...ainda que somente a si mesmo;
Pela alegria que seja pouca coisa, ou pela lacerante angústia que se faça no nebuloso céu, quando deveria sorrir para mim o dia;
Não sou escritor, não sou poeta...sou apenas mais um querendo talvez ser aquilo que não deveria;
Vivo na intensidade de um pirilampo que ilumina um momento, sou esquecido ao me lembrar sob uma triste árvore...do ostracismo ausente de folhas, em uma noite fria;
Sou apenas grato por assim ser, contradição em forma de pessoa...
Sou grato eternamente, por fazer textos, que venham a permear a arte que se chame de poesia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.