Visitantes da página

terça-feira

Espera pela esfera nascente.

Quando surge no oriente, a esfera em fulgor imponente;
Impõe e propõe seu calor, é expressão maior para tudo que anseia por vida...é lamento de morte, entretanto, para muita gente;
Estrela displicente, não necessita de licença para nascer ou se esconder, de sua origem pouco se sabe...se é perfeição cósmica ou divindade que ao se erguer e desenhar no céu, se faça reluzente;
Há de agradecer por seu simples despontar o surfista, mas há de praguejar contra este, o sertanejo...detestar o vampiro e o boêmio, bem como o noturno artista;
Esfera flamejante, que traz à tona toda forma de beleza oculta e crime cometidos na escuridão...luz mais intensa que, sem querer, faz reluzir o diamante e denuncia o meliante;
Quando surge, no oriente a esfera imponente;
É chance para ressurgimento da esperança, é calor que seca lágrimas e motivo de alegria para a ansiosa criança;
É horizonte que se desenha em um retrato, mas jamais permanece parado...é horizonte que se admira à distância e se disponha a seguir, embora jamais seja alcançado;
Alcançar não será meta para quem goze de alguma sanidade, segui-lo simplesmente sabendo ser assim intangível, será alento para aquele que sob este esteja a trabalhar ou sobre este...esteja a sonhar, no campo ou cidade;
Quando dorme no ocidente, a esfera calmamente;
Faz do céu, cor de laranja...lúgubre, funesto, melancolia introspectiva e reflexão para a mente;
O véu da noite se coloca sobre nós uma vez mais, suavemente;
Espero por ti esfera, enquanto outros desejam que nunca mais venha a regressar novamente;
Espero por ti estrela, ainda que esperar seja tolice, pois é sabido que seu retorno é iminente...



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.