Visitantes da página

sábado

Coração de Homem.







Coração de homem, cesse seu estúpido e involuntário emocional jeito de pulsar;
Coração pra quê...se sua sina é ser criado para ser tão criterioso, se seu destino é ser nômade ou liderar;
Olhos piedosos e marejados de lágrimas, em nada servirão e jamais hão de ajudar...
Quando o chamado lá fora, por seu nome finalmente ecoar...quando do cordão umbilical você for selecionado para romper barreiras e em novas e temidas desventuras, se aventurar;
Olhos de lince, olhos de águia...olhos serenos e intransigentes, que sempre aliados à razão...deverão julgar;
Olhos que subitamente se lembram da própria infância, olhos de um homem barbado recordando-se que foi criança...olhos que sem querer, uma lágrima deixam deslizar;
Nó na garganta, seja da apertada gravata ou intentona de bravata...nó, que em pranto não poderá o semblante modificar;
Austeridade na face, austeridade que se faça necessária para sobreviver...quando em casa, figuras tão afáveis lhe ensinaram sobre o quão elementar na vida, seria o verbo amar e pelos demais se compadecer;
Olhos que deveriam ser frios, não deveriam ser comandados por um coração que os fazem sofrer;
Cala-te, coração!
É meu grito...em prantos, mas tão imperativo;
Em frente, eu sigo...com homem me pareço, mas ainda sou apenas um filho;
Entretanto...falar sobre minha personalidade será ultraje, questionar minha maturidade é coisa que não admito;
Um dia, espero entender o porquê daquilo que ainda não consigo...um dia, espero entender o motivo de anos por mim se passarem...contudo, nunca se passarem comigo;
Um dia, uma noite...entenderei talvez a necessidade prévia para toda forma de redenção, de um vil açoite;
Coração de homem...saia do meu peito, deixe pensar ao menos...pois, sequer consigo me concentrar assim, com olhos marejados para caminhar direito;
Coração de homem, tão forte aparente...tão menino e tão carente;
Fique nas mãos de quem me criou e ali permaneça a sempre bater, para que nossas memórias, como meu vívido coração permaneça sempre ali...sem necessidade de registro visuais, constantemente a bater;
Fique nas mãos de quem me ensinou o que era amar, mas longe da vida que me ensina diariamente o significado de detestar;
Coração de homem, bata somente o necessário para a máquina se mover e manter o respirar...
Bata, coração em um homem...mas, bata distante da multidão quando desejar;
Sinto-me cansado de ver minha maquiagem de palhaço se liquefazer...sinto-me cansado, quando na verdade deveria estar sempre pronto, tal qual ao soldado que cumpre sua missão sem questionar;
Coração de homem, tenha a devida postura e tome jeito, pois desta forma...adiante jamais saberemos o que será realmente um caminhar que não seja, em círculos se perder e sempre regressar.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.