Visitantes da página

domingo

Te aguardo, na próxima estação.

Desenha-se para mim uma oportunidade, do desdém alheio, surge a infeliz oportunidade;
Desdenha de mim a iniquidade, a inveja e a crueldade. Se fazem palavras, me fazem em pedaços por dentro, e sequer encontro de meu ser, os cacos que componham minha metade...aquilo que inteiro e pleno me fazia sentir e permanecer;
Desdenha de mim, aquele que deveria me apoiar até o fim, desdenha por motivos que o destino saberá, embora eu mesmo jamais saberei;
Austeridade e arrogância afirma estarem presentes em minha nobre arte, ainda que nesta eu persista como no vício de respirar que ainda não cessei;
Cessar...é o que se espera de alguém quando jogos da mente, um outro alguém se proponha a jogar;
Desistir, junto ao desfiladeiro caminhar, pensar em um momento sua inspiração ou sua própria vida deste jogar, por pessoas em que não deveria sequer escutar...por um momento, hesitar;
Hesitei, persisto em viver até uma nova "oportunidade" aparecer, persisto em esperar aquilo que me faz sentir em minhas veias algum sangue de nobreza, humildemente correr;
Persistir irei, ainda que altas sejam as marés, ainda que o chão abra-se sob meus pés, podem apossar-se de minha pouca auto-estima, mas jamais roubarão sequer de uma estrofe, a mais ordinária rima;
Levem consigo minha pouco valorosa sina, levem, ladrões de vidas, auto-estima, que pouco mais vale que centavos. Não vale sequer ser objeto que não seja comparável ao inesperado dejeto que caia de cima;
De cima...cairão novamente as águas daquilo que permanece, virá o elemento que paz à minha alma traz e meu sangue, tal qual a uma máquina....acalma e arrefece;
Inspiração, meu ser...somos somente um, um ao outro haveremos de merecer;
Meu ser, inspiração...sem ti de mim mesmo hei de me esquecer, sem sua presença, sou somente um espectro daquilo que restou, uma vil carne exposta ao tempo e em um iminente e célere processo de perecer;
Inspiração, és a contradição para toda incômoda e racional razão, és aquilo que faz bater um já combalido e sofrido coração;
Estarei esperando por você, em algum lugar...pois, aqui há um pretenso poeta, um "cara que escreve", que nada mais é, sem ti, como da carne, uma jocosa brincadeira do destino que se assemelha com nefasta maldição;
Para ti sou mero meio, por ti, me faço divertir e diversão com palavras que a outros possam também atingir...és minha metade que por aí caminha e torna minha alma plena;
Até um dia, pena...até um dia cenário e cena...até o dia em que nos reencontrarmos e possamos fazer novamente, algo que escrito em palavras, sejam precisos como um tiro certeiro, e façam valer a pena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.