Visitantes da página

domingo

Rejeição

Rejeitas-me nestes dias, rejeitas-me sem razão;
Hei de perguntar aos céus, hei de questionar-me, ainda que seja em vão...que motivos racionais haveriam para a humana rejeição?
Da mesma matéria fomos constituídos, da mesma fonte fomos concebidos e todos estaremos sujeitos ás intempéries do tempo, do vento...à mesma constituição e condenados ao fim no mesmo chão;
Por que me rejeitas, se somos indivíduos de diversas cores, coloridos...mas, com o mesmo sangue de cor única, que corre em nossas veias e bate em um mesmo frágil coração; sangue que há de escorrer e nos fazer sucumbir ao mesmo chão;
Frágil coração, feristes o meu sem pensar que desta terra somos frutos iguais, renegados ou acolhidos pelo mesmo Deus, filhos do átomo, das moléculas...ou do criacionismo que remeta à Eva e Adão;
Frágil coração, feres o meu pensando somente em seu próprio, somente em sua razão...regozija-se de sua saúde plena enquanto perece seu humano irmão;
Rejeição...se mártires e o próprio Cristo sofreu em sua derme, em sua sublime condição, serei eu o culpado pelos seus preconceitos, ou seria você...o mesmo tipo de humano que para tantas desgraças e que para um fim a este mundo de sofrimentos, darão algum motivo...como justificativas servirão?
Rejeito-me a ser como você, mas aceito-lhe como meu irmão...somos constituídos da mesma matéria, somos filhos da mesma terra, mas distinto...lhe afirmo, é o sentimento que dá sentido em nossas distintas vidas e pulsa em nosso parecido coração.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.