Visitantes da página

quinta-feira

Identidade: Andróide.

Redes feitas, redes arquitetadas...deverão ter sua serventia, por gênios da tecnologia idealizadas;
Redes, no passado feitas somente para recreação, pescar ou repousar...feitas hoje para serem ferramentas, instrumentos para o ser humano evoluir ou se depreciar;
Reencontrar amigos que não convém reencontrar, muitas vezes...amigos que se perdem, se foram por uma razão e jamais foram reais...jamais serão;
Achar aquilo que não se deve encontrar, o tempo é sábio, a natureza ou Deus há de certas coisas se encarregar e te livrar;
Encontrar na ebriedade, aquilo que satisfará do ser humano e de sua própria criação, servirá somente para alimentar sua própria vaidade;
Reencontrar ébrio, aquele ou aquela que não presta, que um dia chamou de amigo ou querida, mas jamais te levou a sério;
Reencontrar suas frustrações, traumas ou decepções...querer por desespero, achar em seres que te detestam consolo para suas aflições;
Masoquista é o ser humano, manipulador é por excelência e pretenso sábio com super ego inflado, há de ser aquele que é por mera ostentação, é por seres sem identidade ou próprio amor, adorados;
Gostamos de contabilizar, gostamos de "ter"...esquecemos que somos tão passageiros quanto a chuva, esquecemos que tudo que temos é "ser";
Mudou a sociedade? Mudou a perspectiva....moveu alguma palha ou pá que não seja de algum boçal que venha a ler, que não seja pelo próprio autor de piedade?
Pessoas acreditam que são aquilo que estão, pessoas acreditam que fotos ou coisas inócuas por sua natureza as eternizarão...pessoas, pessoas sempre serão;
Em um muito onde tanto se deixa partir e reencontra, a identidade se perde ou quem sabe, para alguns...se compra;
A natureza consome tudo aquilo que sobre esta caminha, pensa ser especial demais para ser único, quando não passa de uma carcaça procurando por piedade enquanto definha;
Redes...feitas para espionagem, para destruir lares e famílias, redes de sacanagem...desligue o radar e salte em seu exílio, busque introspecção e dentro de si mesmo olhar;
Aquilo que se foi para sempre, muitas vezes não deveria retornar. Aquilo que parece eternidade quando parte, poderá ser finalmente...paz;
Não procure números para sua popularidade, quando não tem uma identidade, não procure milhões de contatos que curtem suas fotos, mas jamais te conhecem na verdade...pois a ti mesmo, com um estranho se assemelha e é, assaz dotado de orgulho como maquiagem para sua auto-piedade;
Desça do pedestal imaginário que se encontra, ou suba em uma escada real, ainda que seja um degrau, mas que seja digna para te enobrecer e lhe conceder algo que se chame alguma identidade ou moral;
Ou simplesmente, busque em frases feitas que não compreende, motivos para não se matar, para sua hipocrisia suportar...e para sua própria falta de amor e necessidade por parasitas para em ti habitar, saciar;
Redes...por que não finalmente, destas quando tantas questões consigo mesmo têm a resolver e com que lhe importa, se desligar?
Redes...quantas vidas vazias, mentes alienadas e lares despedaçados ainda pretende fomentar?
Redes...traga-me uma, que seja real para meu cansaço, simplesmente repousar;
Abraço de amigo é aquele que é presente e com verdade se parece...fogo verdadeiro, é aquele que realmente aquece se acende diante dos olhos, ou emanam destes quando encontros são feitos, pessoalmente. Nada como ser saudosista e orgulhar-se do "antigamente".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.