Visitantes da página

quarta-feira

Vampiros


Assim como o Sol ascende ao céu enquanto a Lua há de esconder-se no mar;
Irei eu de ocultar minha face, meus desejos quase juvenis...púberes ao te encontrar;
Não se parece com desejo nobre aquele que por ti, entretanto, insisto em desejar;
Se assemelha com o desejo de uma jovem vida que, alienada por obras televisivas, é compelido a te assassinar;
Pessoa de estranhos modos, pessoa...de estranho olhar;
A grama clamaria por evitar seus passos se pudesse gritar, a mais bela flor...há de murchar e falecer com seu simples olhar;
Ser que todos os dias eu tenho de aturar...ser, que por mero capricho do destino, o mesmo local que frequento há de frequentar;
Vampiro nada sobrenatural e não imortal...para meus deleites oníricos e malditos, a me vampirizar;
Minha saúde encontra-se saudável até te encontrar, meu dia...se parece bom até que contigo eu venha a cruzar;
Ainda que convivamos no mesmo local, civilizadamente em sociedade e tenhamos que à lei dos homens observar...
Peço-lhe simplesmente, que tenha a nobreza do Rei Sol, ou a doçura e timidez do doce luar;
Quando comigo vier novamente a se encontrar, não lance olhares, não dirija palavras....simplesmente, finja timidez e evite a todo custo me vampirizar; pois artifícios como crucifixos não hão de funcionar e balas...de prata ou reais, ainda que queira, contra ti não posso usar;
Sua saúde e paz são meus sinceros votos...sua ausência, no entanto, me faz melhor e me devolver o brilho ausente em meu olhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.