Visitantes da página

quinta-feira

Uma mansão assombrada, em meio ao nada.....





Quero uma mansão assombrada, à beira-mar;
Onde não passa nenhuma alma viva, onde seja pesado e agradável a brisa e o ar;
Quero uma casa enorme onde somente com fantasmas o espaço eu possa compartilhar;
Viver como um escritor depressivo de filmes, ter como inspiração em minha janela aberta, a luz do soturno e aconchegante luar;
Quero um sótão e um porão escuros, onde ruídos estranhos e sobrenaturais meus sonhos e pesadelos venham a povoar;
Onde histórias de romances mórbidos possam me inspirar e me compelir em uma velha máquina de escrever, meus devaneios digitar;
Quero viver onde ninguém possa saber, onde seja grande o suficiente para ninguém notar;
Quero viver em uma casa grande com lareira acesa, com fogo acolhedor onde meus amigos desencarnados possam comigo se abrigar;
Desejo meus pensamentos simplesmente libertar, em um etéreo...sublime ar;
Desejo tudo isso sem que minha condição ninguém haja para criticar, sem meus pensamentos...alguém para censurar;
Meu canto, meu lar...onde somente os bons espíritos e quiçá também os maus, venham para minhas idéias iluminar...onde juntamente com as almas de velhos escritores, minhas histórias eu possa calmamente desenrolar;
Miguel de Cervantes, Dostoiévski...Machado, Álvares, Vinícius, Augusto dos Anjos e quaisquer que queiram comigo, suas obras póstumas compartilhar...
Quero ali viver, quero ali morrer para depois também inspirar e assombrar...quero somente a paz que eu acredito, sem com a opinião dos normais me importar;
Quero, como Ismália, a Lua do céu...mas, jamais enlouquecer ao ponto de ao mar me atirar....
Quero uma mansão assombrada, para que com os fantasmas ali residentes e os próprios de minha mente...eu possa me divertir na solidão e me entreter, sozinho me perder e na escrita de minhas desventuras...minha identidade encontrar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário