Visitantes da página

terça-feira

Disposição de ensinar, disposição de viver.

Quem já viveu por instantes no calor do inferno?
Quem já sentiu queimar, o gelo do mais terrível inverno?
Você já caminhou pelas ruas sem rumo e sem sapatos, despido de sua arrogância e seu valioso terno?
Já falou sobre coisas que você mesmo viveu?
Ou somente...disse aos demais sobre as coisas que de longe observou, na escola aprendeu...por ter tido uma boa criação, jamais pareceu?
Enquanto você engorda seu pseudo intelecto com frases feitas, com livros que enfeitam sua estante, lá fora acontece algo chamado vida. Vive mais do que toda sua vida, aquele que caminha sem rumo por um instante;
Quem nunca sentiu o pesar da mão, nunca foi julgado pela alheia e cruel opinião;
Quem nunca saiu para fora de seu portão, para caminhar no céu...conhecer a dor do torpor, o amargo do fel;
Quem fala no conforto de seu sofá sobre a vida que conhece pelos livros e sobre o amor, quem nunca o rosto para o doloroso tapa veio a expor...ou nunca esteve disposto a se dispor...
Pode realmente ensinar algo que se pareça com utopia, mas jamais saberá ao certo como agir, definir ou lidar com sensações...que a pele arrepiam, dos perfumes que encantam e inebriam...dos desvios do caminho sobre quais livros didáticos não ensinam;
Continue a viver, mas por favor, limite-se às limitações do seu pouco aprendizado ao tentar a alguém ensinar....sua pouca disposição de VIVER!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.